Início5GClaro realiza experimentos em 5G SA com Embratel e Ericsson

Claro realiza experimentos em 5G SA com Embratel e Ericsson

Claro realiza experimentos em 5G SA com a Embratel e a Ericsson para fortalecer o uso da nova tecnologia no mercado de aviação e aeronáutica.

Na última sexta-feira (29 de outubro), a Claro, a Embratel e a Ericsson apresentaram no ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica), três experimentos com rede 5G SA (Standalone) para o mercado de aviação e aeronáutica, com o objetivo de potencializar a transformação que a nova rede pode trazer para o setor.

Os experimentos aconteceram no campus da ITA localizado em São José dos Campos, em São Paulo, com a rede 5G standalone na frequência de 3,5 GHz. Vale ressaltar que as soluções comerciais foram disponibilizadas pela Anatel com licença para fins científicos experimentais.

A primeira aplicação do experimento foi com a utilização da infraestrutura 5G, onde a Embratel conectou dois notebooks para colaborar em conjunto simultaneamente no mesmo projeto de avião 3D, trabalho desenvolvido pela ITA em parceria com a Embratel.

Os notebooks acessavam de forma remota arquivos de modelos 3D de um avião, onde os servidores da Embratel armazenavam o projétil através da aplicação de design CAD. Por meio da rede 5G, os arquivos foram acessados em tempo real, em baixa latência e em alta resolução.


LEIA TAMBÉM:

–> Vivo, Claro e TIM terão mais concorrência após leilão 5G

–> Embratel quer transmitir 70 canais na banda Ku a partir de Abril de 2022

–> AT&T fecha acordo com a fabricante Ericsson para expandir 5G

No segundo caso, foram utilizados robôs móveis assistidos pela rede, pela Inteligência Artificial e Realidade Estendida, com o intuito de montar um ambiente industrial eficiente, seguro e mais colaborativo, em um ambiente virtual criado pelo ITA para que os robôs entrassem em atividade.

Durante o experimento, os algoritmos de Inteligência Artificial evitavam a possível colisão entre os robôs, enquanto que um equipamento 5G de Realidade Estendida monitorava e controlava as máquinas.

Na terceira experimentação, foi utilizado um wearable (dispositivo móvel vestível) com quatro câmeras 4K e adaptável ao pescoço, onde as lentes possibilitaram visualizar em 360º e em alta definição o redor do usuário e a transmissão em circuito fechado. Esse terceiro caso serve para Monitoramento Móvel Inteligente.

A rede 5G permitiu que as informações críticas em tempo real fossem disponibilizadas para o agente de segurança com dispositivo móvel de forma mais rápida, enquanto que as câmeras transmitiam as imagens para um Centro de Monitoramento.

Cleane Lima
Jornalista, Comunicóloga, Repórter e Redatora há mais de 3 anos, com experiência na produção e revisão de conteúdo para internet. Adora escrever sobre qualquer assunto. "Palavras são, na minha humilde opinião, nossa inesgotável fonte de magia". Alvo Dumbledore.

3 COMENTÁRIOS

Acompanhar esta matéria
Notificação de
3 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários