Início5GTIM realiza teste com 5G 'puro' e atinge velocidade 100x superior a...

TIM realiza teste com 5G ‘puro’ e atinge velocidade 100x superior a do 4G

O pico de velocidade registrado pela operadora, medido pelo sistema Speedtest, foi de 1,8 Gbps.

Velocímetro com o ponteiro apontando para o 5G.
Imagem ilustrativa.

Durante a realização de testes com equipamentos de rede comercial para operação 5G standalone (também chamado de 5G puro), a TIM conseguiu atingir velocidade de 1.8 Gbps. Para a mediação, foi utilizado o sistema Speedtest, da consultoria Ookla.

Além disso, a operadora utilizou como terminal o Samsung Galaxy S21 Ultra 5G, que integra a lista de aparelhos de quinta geração para redes móveis homologados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

O teste foi realizado no laboratório da operadora, no Rio de Janeiro e teve a gigante chinesa Huawei como fornecedora dos equipamentos, já compatíveis com o padrão Release 16, a mais recente versão liberada pelo 3GPP.

Vale destacar que esse é o padrão exigido pela Anatel para as empresas que pretendem adquirir a faixa de 3,5 GHz, no próximo leilão do espectro.


VIU ISSO?

–> TIM está convidando clientes para testar 5G

–> Conheça os três estados que vão receber 5G da TIM

–> Vazam detalhes sobre 5G e banda larga móvel da TIM

Segundo o Ministério das Comunicações (MCom), o certame deve acontecer no primeiro semestre deste ano. No entanto, a Anatel e o Tribunal de Contas da União (TCU) consideram que esse seja um prazo estreito.

A respeito das exigências da Anatel para a instalação de redes 5G standalone Release 16, a TIM se posiciona favorável aos compromissos estabelecidos pela agência reguladora.

Esse novo padrão deve entregar tecnologias que não são possíveis serem ofertadas com o Release 15, além de prometer ainda mais chances para que as operadoras consigam diversificar seus fornecedores. Neste momento, Huawei, Ericsson e Nokia dominam o mercado de infraestrutura de rede.

5G standalone

Quando as redes operam nesse modo, também chamado de autônomo, a estação base realiza a sinalização de controle de rede e a transferência de informações ao usuário utilizando, exclusivamente, a arquitetura do núcleo de rede da nova geração, no caso, o 5G.

Por outro lado, no modo não-standalone (não autônomo), o plano de controle é realizado pelo núcleo do 4G, como explicou o presidente da Anatel, Leonardo Euler, durante uma reunião do Grupo de Trabalho do 5G na Câmara dos Deputados.

Com informações de Telesíntese.

1 COMENTÁRIO

Acompanhar esta matéria
Notificação de
1 Comentário
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários