21/02/2024

Paulistas são destaque na 11ª edição do Campos Mobile da Claro

Programa de responsabilidade social da Claro teve destaque a participação de projeto de estudantes pauliistas.

Paulistas se destacam na 11º edição do Campus Mobile com apps nas áreas de Diversidade e Cidades Inteligentes, segundo a Claro. A operadora divulgou alguns detalhes sobre a etapa final do projeto de responsabilidade social da empresa ligado a incentivo de estudo sobre tecnologia em meio aos jovens. 

Campus mobile

O estado de São Paulo marcará presença na etapa final da 11ª edição do Campus Mobile, com três projetos e três finalistas nas categorias de Diversidade e Smart Cities; representando as universidades Anhembi Morumbi, UFJF e UFSCar. 

A Claro destaca que o concurso de inovação estimula a formação de jovens talentos universitários para o desenvolvimento de soluções por meio de aplicativos para dispositivos móveis que promovam impacto social e benefícios à população e conta com patrocínio do Instituto Claro, apoio do beOn Claro, hub de inovação da operadora, realização da Associação do Laboratório de Sistemas Integráveis Tecnológico (LSI-TEC) e apoio da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP).

Uma das inovações presentes nessa etapa do Campus Mobile visa economia de água nas cidades

Estudante da Universidade Federal de Juiz de Fora e morador de São Paulo, Ítalo Fernando Valle Alvarenga, criou a “Fiber Sensors”, que concorre na categoria Smart Cities e é uma plataforma que permite o acompanhamento de vazamentos em tubulações, contribuindo para diminuir e sanar o desperdício de água nas tubulações urbanas.

“Hoje em dia, por volta de 40% da água tratada é desperdiçada na distribuição, pelos canos. Muitas vezes existe uma demora na detecção dos vazamentos, além de ser um trabalho que demanda equipes inteiras para inspeção. Com o software, é possível otimizar todos os dados sobre a saúde da tubulação e tornar menos complexo o processo de reparos”, explica Ítalo.

Outra ideia visa facilitar o dia a dia da procura por novos espaços para morar

Ainda na categoria Smart Cities, o jovem morador de São Carlos, Arthur Braga da Fonseca, foi responsável pela criação do “UShare”, que conecta estudantes universitários que procuram dividir apartamento, promovendo uma conexão de interesses em comum e facilitando o processo de busca.

A plataforma criada pela aluna da Universidade Anhembi Morumbi, Paula Sousa Neiva, nasceu para cuidar de quem cuida. É uma solução digital que busca promover equilíbrio entre a vida pessoal e a jornada de trabalho das mães. A “Quida” nasceu para combater os altos índices da Síndrome de Esgotamento Materno, um problema muitas vezes invisibilizado e que afeta mulheres que procuram conciliar a maternidade com a carreira sem se sentirem tão sobrecarregadas.

“Minha plataforma é um incentivo corporativo que reúne soluções para ajudar tanto profissionais com filhos em seus planos de carreira quanto empresas a atingirem seus objetivos de negócios, enquanto transforma a cultura organizacional e gera impacto social”, disse Paula.

Depois dessa etapa os participantes podem ir para o Vale do Silício, nos Estado Unidos

Ao final desta etapa, os finalistas com os projetos mais bem avaliados em cada uma das seis categorias participantes (Diversidade, Educação, Games, Saúde, Smart Cities e Smart Farms) são premiados com uma viagem de imersão no Vale do Silício, na Califórnia, para aprofundar seus conhecimentos em tecnologia, além de um valor em dinheiro. 

Para participar, é preciso ser maior de 18 anos, estar matriculado em uma instituição de ensino superior no Brasil nos cursos de graduação, mestrado ou doutorado ou ter se graduado recentemente.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários