28/02/2024

Roubo de cabos de telecomunicações cresce 14%; Conexis busca solução

Situação com os cabos de telecomunicações no Brasil preocupa a Conexis. Entidade busca como solucionar esse problema.

O roubo de cabos de telecomunicações é um problema que afeta milhões de pessoas no Brasil e cresceu 14% durante o ano passado, segundo dados da Conexis Brasil, sindicato que reúne as operadoras TIM, Vivo, Claro, Oi, Algar e Sercomtel. 

cabos de telecomunicações

No último ano, cerca de 4,72 milhões de metros de cabos foram roubados ou furtados, em comparação com os 4,13 milhões de metros registrados durante todo o ano de 2021.

Quantidade de cabos roubados é surpreendente

A quantidade de cabos furtados em 2022 seria mais que suficiente para cobrir em linha reta a distância entre o Monte Caburaí (RR), ponto mais ao Norte do Brasil, e Arroio do Chuí (RS), ponto mais ao Sul, de acordo com o sindicato patronal. 

Essas ações criminosas deixaram pelo menos 7 milhões de clientes sem acesso a serviços de comunicação, incluindo serviços essenciais como polícia, bombeiros e emergência médica, e o número de clientes afetados aumentou 14% em relação ao ano anterior.

O aumento no volume de cabos de telecomunicações furtados tem preocupado o setor, após uma queda de 11% em 2021 em comparação com 2020. São Paulo ainda é o Estado mais afetado por essas ações criminosas, com 1,035 milhão de metros de cabos furtados ou roubados no ano passado, embora esse volume tenha caído 4,2% em comparação com 2021, quando o Estado registrou 1,081 milhão de metros de cabos de telecomunicações furtados ou roubados. 

O Paraná ocupa o segundo lugar no ranking dos Estados mais afetados pelo furto e roubo de cabos, com um total de 1,01 milhão de metros de cabos furtados ou roubados, representando um aumento de 66%. Em seguida, está Minas Gerais, com 626,2 mil metros, registrando um aumento de 119% em comparação com o ano anterior, subindo do quinto para o terceiro lugar na lista de Estados mais afetados.

O Espírito Santo é o quarto Estado mais afetado, com um aumento de 155,5% no volume de cabos furtados ou roubados, totalizando 312,3 mil metros em 2022.

O setor tem buscado formas de contornar essa situação, garante a Conexis

A Conexis destacou que o setor tem intensificado o diálogo com autoridades federais, estaduais e municipais, especialmente com o Rio de Janeiro, para promover ações de combate ao furto, roubo e vandalismo de cabos e equipamentos. 

Essas ações têm apresentado resultados, e o Estado do Rio de Janeiro, que chegou a ocupar a segunda posição em 2020 na lista dos mais afetados por esses crimes, registrou uma redução de 44,3% no volume de cabos de telecom furtados ou roubados em 2022, totalizando 280,4 mil metros, em comparação com 504,1 mil metros em todo o ano de 2021.

O setor de telecomunicações tem defendido uma ação coordenada de segurança pública envolvendo o Judiciário, o Legislativo e o Executivo, em âmbito federal, estadual e municipal, além da aprovação de projetos de lei que aumentem as penas para esses crimes e auxiliem no combate a essas ações criminosas.

A diretora de Relações Institucionais e Governamentais e de Comunicação da Conexis, Daniela Martins, afirmou que é necessária a adoção de políticas públicas urgentes. 

“O setor defende a urgente implementação de políticas públicas de combate aos furtos, roubos e receptação de cabos e equipamentos e a aprovação urgente do PL 5846/16, que tipifica e aumenta a punição para esses crimes que tanto prejudicam o cidadão”, disse Daniela Martins.

O projeto de lei já passou por todas as comissões da Câmara dos Deputados e agora está esperando a votação no Plenário da Casa.

ViaUol
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários