CADE não deve facilitar venda da Oi Móvel para TIM, Claro e Vivo

Foram divulgados mais detalhes internos sobre os ‘bastidores’ da compra que agita o setor de telecomunicações.

Ilustração: Public Domain Pictures
Ilustração: Public Domain Pictures

Se usuários e entusiastas de telecomunicações aguardam todo dia pelo “novo capítulo” sobre o processo de venda da Oi Móvel, aqui vai: tudo indica que a negociação vai encontrar barreiras impostas pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE).

O colunista Lauro Jardim, que inclusive já adiantou diversos detalhes sobre a reestruturação da operadora carioca, divulgou informações internas da autarquia.


Segundo o jornalista, quatro dos sete conselheiros do CADE enxergam a proposta de R$ 16,5 bilhões feita por Vivo, Claro e TIM com muita resistência.

Portanto, já dá para imaginar que os debates por lá serão acalorados, não é mesmo?

Em caso de um possível impedimento da compra pelo consórcio formado, quem pode levar a melhor é a Highline do Brasil.

A empresa, do grupo americano Digital Colony, segue no páreo e deve defender sua proposta na Anatel.

VIU ISSO?

–> Conheça a posição do CADE sobre a venda da Oi Móvel

–> Como TIM, Claro e Vivo vão driblar o CADE na compra da Oi Móvel?

–> Oi recebe nova oferta: R$ 1,07 bilhão pelas torres

Atualmente, a Oi já afirmou que vai considerar a melhor proposta na venda sua unidade móvel.

As concorrentes TIM, Claro e Vivo seguem como favoritas por conta disso. Pelo visto, só mesmo a regulação poderia embarreirar.

Com informações de O Globo

A SKY tem o plano ideal para a sua TV! Aproveite já com 50% de desconto no primeiro mês. Ligue 0800 123 2040.

COMPARTILHAR EM:

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
1 Comentário
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários
Helliton Soares Mesquita

Melhor vender pra Highline e fazer um acordo caso a empresa queira voltar ou oferecer serviços móveis. Do que vender caro e nunca mais voltar pra a ser empesa de celular.

Cidade - UF
Rondonópolis - MT