Rússia bloqueia o acesso ao Facebook e ao Twitter no país

Além das redes sociais, há relatos de que outros serviços de informações de países ocidentais também foram bloqueados no país russo.

Com as diversas sanções que a Rússia vem tendo desde que decidiu invadir a Ucrânia, agora foi a vez do contra ataque. Desde sexta-feira (4), que as plataformas da Meta, dona do Facebook, estão com acesso bloqueado no país russo, segundo comunicado do Serviço Federal de Supervisão de Comunicações, Tecnologia da Informação e Meios de Comunicação de Massa da Rússia, órgão executivo também conhecido como Roskomnadzor.

A justificativa foi apontada para 26 casos de “discriminação contra a mídia russa” datados desde outubro de 2020. Além disso, a agência de notícias russa TASS anunciou que o Twitter também está bloqueado.

Segundo o comunicado, a ação do Facebook é proibida por lei, sendo ela uma violação aos “princípios fundamentais da livre disseminação de informações e acesso sem obstáculos dos usuários russos à mídia local” em plataformas estrangeiras.

Ainda existem relatos de que outros serviços de informações de países do Ocidente também estão sendo bloqueados, como os canais de notícias britânico BBC e o alemão Deutsche Welle, além da plataforma Wikipédia.

Em resposta ao anúncio de bloqueio, o vice-presidente de comunicações globais da Meta, Nick Clegg, disse que a empresa está se esforçando para restabelecer os serviços no país russo, mas que não pode ir contra a decisão governamental. Além do Facebook, o Instagram e o WhatsApp também devem ser bloqueados na Rússia, já que pertencem a empresa comandada por Mark Zuckerberg,

LEIA TAMBÉM:

–> Facebook e Instagram limitam alcance das contas estatais da Rússia

–> Após sanções, Apple Pay e Google Pay param de funcionar na Rússia

–> Operadoras se posicionam contra a guerra Rússia/Ucrânia

Desde a semana passado, dias após a invasão da Ucrânia, a direção da rede social já havia comunicado em nota que a Rússia já ameaça impor restrições às plataformas parte da empresa Meta, uma vez que o Facebook negou o pedido para parar de realizar checagens em notícias que eram veiculadas pelo governo do presidente Vladimir Putin.

O que também pode ter sido motivo para o bloqueio das plataformas na Rússia, foi a tentativa, por parte do país, de impedir a organização de protestos contra a guerra através das redes sociais. No país russo, as manifestações são proibidas, e para serem realizadas, os grupos manifestantes precisam pedir autorização ao governo com, no mínimo, 10 dias de antecedência.

Cleane Lima
Cleane Lima
Jornalista, Comunicóloga, Repórter e Redatora há mais de 3 anos, com experiência na produção e revisão de conteúdo para internet. Adora escrever sobre qualquer assunto. "Palavras são, na minha humilde opinião, nossa inesgotável fonte de magia". Alvo Dumbledore. E-mail para contato: [email protected]
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários
0
O que você acha? Comente!x