Saiba como será dividida a Oi Móvel entre a TIM, Vivo e Claro

Anatel aprovou a divisão da unidade móvel em três SPEs: Cozani para TIM, Garliava para a Telefônica/Vivo e Jonava para a Claro; entenda.

Com a anuência prévia da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) da venda da Oi móvel para a TIM, Vivo e Claro, muitos clientes da operadora que se encontra em recuperação judicial estão com dúvida de como vão ficar seus números após a divisão de ativos.

A agência aprovou a divisão da unidade móvel em três Sociedades de Propósito Específico (SPE), correspondentes a fatia de cada compradora: Cozani para a TIM, Garliava para a Vivo e Jonava para a Claro, sendo que cada uma dessas SPEs Móveis serão incorporadas a cada operadora em um prazo de 18 meses.

A base de clientes da Oi Móvel foi dividida em cada área de registro (DDD) atribuída à compradora que teve a menor participação de mercado em março de 2020. Confira a tabela no final do artigo.

Dessa forma, a TIM ficará com os clientes da Oi das seguintes áreas de registros: 11, 16, 19, 21, 22, 24, 32, 51, 53, 54, 55, 61 a 69, 73, 75, 89, 93 a 97 e 99. A Claro ficará com as áreas: 13 a 15, 17, 18, 27, 28, 31, 33, 34, 35, 37, 38, 43 a 49, 71, 74, 77, 79, 87, 91 e 92. Enquanto que a Telefônica/Vivo ficará com os DDDs: 12, 41, 42, 81 a 86, 88 e 98.

LEIA TAMBÉM:

–> Copel Telecom tem interesse na compra de ativos da Oi Móvel

–> MPF recomenda que o Cade não aprove a venda da Oi Móvel

–> Copel Telecom pede que Anatel anule a aprovação da venda da Oi Móvel

Market Share após a divisão

No market share do celular, embora as posições no mercado não tenham alterações, a TIM diminuirá a diferença que a separa da Claro. Com a venda da Oi Móvel, a Vivo passará a ter 37,8% do mercado, enquanto que Claro terá 32,7% e a TIM 27,1%, sendo que a A TIM ficará com 39,5% dos 41,3 milhões de celulares da Oi (nov/21), mais que a Claro (30,6%) e a Vivo (29,8%).

Quando se trata das áreas de registro, as alterações na liderança ocorrerão principalmente nas regiões em que a Oi era líder. A Vivo, que foi a última operadora a entrar no Nordeste, passará a ser a líder nos DDDs 81 (Recife), 82 (Maceió), 83 (João Pessoa), 84 (Natal), 85 (Fortaleza) e 98 (São Luís). A Claro passará a liderar nos DDDs 71 (Salvador), 87 (Petrolina), 91 (Belém) e 92 (Manaus), enquanto que a TIM assumirá a liderança no DDDs 73 (Ilhéus), 74 (Juazeiro), 75 (Feira de Santana) e 99 (Imperatriz).

O market share do pré-pago também permanecerão inalterado, mas a TIM, que disputa a 2ª colocação com a Claro, abrirá uma vantagem em relação a esta operadora. Antes da venda, a TIM tinha 24,6% de participação, enquanto a Claro tinha 24,5%. Após a venda, a TIM vai para 32,2% e a Claro fica com 31,4%. A TIM ficará com 36,4% dos 25,0 milhões dos pré-pagos da Oi (nov/21), mais que a Claro (32,6%) e a Vivo (31,0%).

A participação no mercado do pós-pago também ficará a mesma, com a Vivo passando a ter 40,2% do market share da categoria. A TIM ficará com 44,4% dos 16,3 milhões de pós-pagos da Oi (nov/21), mais que a Vivo (28,0%) e a Claro (27,7%).

Confira a tabela da divisão de áreas das operadoras:

Cleane Lima
Cleane Lima
Jornalista, Comunicóloga, Repórter e Redatora há mais de 3 anos, com experiência na produção e revisão de conteúdo para internet. Adora escrever sobre qualquer assunto. "Palavras são, na minha humilde opinião, nossa inesgotável fonte de magia". Alvo Dumbledore. E-mail para contato: [email protected]

5 COMENTÁRIOS

Acompanhar esta matéria
Notificação de
5 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários
5
0
O que você acha? Comente!x