13/06/2024

Anatel aprova a venda da Oi Móvel para a TIM, Claro e Vivo

Consórcio formado pelas três operadoras arrematou os ativos da Oi, mas a transação ainda precisa ser aprovada por outro órgão; entenda.

Nesta segunda-feira (31), a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) autorizou, com restrições, a venda da unidade móvel da Oi para o consórcio formado pela Claro, TIM e Telefônica (dona da marca Vivo). As três operadoras devem cumprir algumas obrigações impostas pelo órgão regulador.

Entre os remédios impostos pela agência para a anuência da aquisição prévia da Oi móvel estão: estar em dia com os fiscos estaduais, municipais e federais; apresentar plano de transferência dos números de celular da Oi; acabar, no prazo de 18 meses, com as sobreposições de frequências; apresentação de compromissos que viabilizem o atendimento das metas do Plano Geral de Universalização e apresentação de garantias referentes aos compromissos de abrangência ainda pendentes de atendimento.

Quanto a relação aos clientes da Oi Móvel, a Claro, TIM, e Vivo devem apresentar, cada, um plano de comunicação aos consumidores contendo cronograma referente ao processo de migração; canais de comunicação para tirar dúvidas do consumidor sobre a migração; direito de escolha de planos de serviço iguais ou semelhantes aos contratados com a Oi; direito à privacidade dos dados e direito de portabilidade a qualquer momento.

Vale ressaltar que não poderá ocorrer migração automática de fidelização nem cobrança de ônus contratual em virtude de eventual quebra de fidelização dos contratos dos usuários que possuem os produtos da Oi Móvel, incluindo combos.

LEIA TAMBÉM:

–> Saiba o que a Oi falou sobre as oscilações de suas ações na bolsa

–> Oi reelege Rodrigo Abreu para o cargo de Diretor Presidente da empresa

–> Oi Fibra supera a marca de 400 mil clientes no Paraná

Além disso, o processo de migração será acompanhado pela Superintendência de Relações com Consumidores da Anatel, que poderá solicitar medidas extras em prol dos direitos dos clientes da Oi, caso ache necessário.

A conclusão da transação ainda depende do cumprimento de outras condições precedentes, incluindo a aprovação pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica – CADE, embora a Superintendência-Geral do Cade já tenha recomendado a aprovação, com a adoção de medidas que reduzam os riscos de concentração de mercado.

A unidade móvel da Oi foi colocada à venda como parte da recuperação judicial ao qual se encontra a operadora. Leiloada em dezembro de 2020, os ativos da Oi Móvel foram arrematados pelo consórcio formado pela Claro, TIM e Vivo por R$ 16,5 bilhões.

ViaG1

4 COMENTÁRIOS

Se inscrever
Notificar de
guest
4 Comentários
Mais antigo
Mais recente Mais Votados
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários