Rússia impõe que Netflix transmita canais de TV ao vivo no país

Além de exibir canais da TV russa, o governo colocou exigências para que a plataforma possa continuar prestando seu serviço no país.

Não é nenhuma novidade que as empresas de tecnologia que lançam produtos e serviços na Rússia precisam se adaptar às regras e imposições do presidente do país. Após ter multado o Google e a Meta por não banirem conteúdos considerados “proibidos”, o governo russo agora exige que a Netflix transmita canais de TV ao vivo para os seus assinantes, segundo informações do The Moscow Times.

Com a determinação, a plataforma terá que integrar canais com foco em notícias e entretenimento. NTV e as emissoras Channel One, de propriedade do estado, e Spas, que é da Igreja Ortodoxa Russa, são alguns dos canais que deverão ser incorporados ao streaming. A exibição de canais ao vivo na Netflix passará a valer a partir de março de 2022.

De acordo com The Moscow Times, o órgão regulador de telecomunicações Roskomnadzor passou a classificar a Netflix como “serviço audiovisual”, sendo que assim terá que exibir ao menos 20 canais de TV para os assinantes locais, caso contrário, não poderá continuar as suas atividades na Rússia.

E não para por aí. Para manter seu funcionamento no país, a plataforma também terá que cumprir outras imposições governamentais, sendo uma delas a criação de uma subsidiária, algo que outras empresas internacionais tiveram que fazer por exigência dos órgãos reguladores.

LEIA TAMBÉM:

–> WarnerMedia imita Netflix e lança jogo em seu serviço de streaming

–> Netflix é o streaming favorito na América Latina, segundo pesquisa

–> Streamings desbancam o consumo de conteúdo e vídeo da TV aberta e por assinatura

Outro ponto é que a Netflix também não deve transmitir conteúdos de teor extremista. Por enquanto, o serviço de streaming ainda não se manifestou sobre o assunto nem comentou se irá cumprir ou não às exigências impostas pelo governo russo.

Segundo a imprensa local, todas essas exigências são formas utilizadas pelo governo para dificultar a divulgação de ideias opostas à política adotada por Vladimir Putin, uma vez que as maiores das emissoras são usadas para divulgação de propagandas a favor do presidente russo.

Cleane Lima
Cleane Lima
Jornalista, Comunicóloga, Repórter e Redatora há mais de 3 anos, com experiência na produção e revisão de conteúdo para internet. Adora escrever sobre qualquer assunto. "Palavras são, na minha humilde opinião, nossa inesgotável fonte de magia". Alvo Dumbledore. E-mail para contato: [email protected]
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários
0
O que você acha? Comente!x