InícioEconomia e NegóciosTelefônica (Vivo) segue com ‘reinado’ no pós-pago

Telefônica (Vivo) segue com ‘reinado’ no pós-pago

Resultados da companhia revelam crescimento de receita e número de clientes, mas a fibra óptica também já apresenta bons horizontes para a empresa.

Os resultados trimestrais da Telefônica, controladora da Vivo, já estão entre nós. A base de clientes total saltou para 97,4 milhões, com 82,3 representando os consumidores móveis. Ao todo, são mais de 5 milhões somados no comparativo anual. A empresa destaca que é o maior volume desde 2015. No pós-pago, o reinado da marca continua, pois obteve mais de 4 milhões nos últimos 12 meses, fato que gerou um crescimento de 7,3% de receita como consequência.

Divulgação da Telefônica
Imagem: Divulgação da Telefônica

Já no pré-pago, a empresa destaca uma estabilidade nos números, sem tanto crescimento, mas também sem destaque negativo. O cenário econômico mais desafiador, alta da inflação e redução do auxílio emergencial foram motivos mencionados para o crescimento discreto de 4,3% em 12 meses.

A fibra, mesmo ainda representando pouco desses resultados, também já mostra ao que virá. O trabalho de expansão fez com que mais 65 cidades recebessem a conexão oferecida pela Vivo, no período de um ano. Atualmente, são 18,3 milhões de residências aptas para contratação do serviço de fibra óptica.

Já o lucro da Telefônica ficou em R$ 1,3 bilhão. A alta foi de 8,5% e a receita líquida também avançou 2,2%, por conta da receita móvel.


VEJA TAMBÉM:

–> Telefónica informa venda de subsidiária

–> Cabo submarino do Google e da Telefônica entra em operação no Brasil

–> Fundação Telefônica Vivo doou R$ 36,6 milhões a projetos de combate à pandemia

Porém, apesar dos serviços em alta, a Telefônica também cita uma espécie de otimização, um outro motivo que favoreceu. Ou seja, o controle contínuo dos custos da operação, que ajudam a registrar resultados positivos. Em despesas financeiras líquidas, o registro foi de R$ 254 milhões. Valor que cresceu devido ao endividamento e outras questões.

Já o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização), cresceu 2,1%. Foram 4,414 bilhões. Outra divulgação destacada como um “gol” pela Telefônica.

Anderson Guimarães
Jornalista com seis anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop. E-mail: [email protected]

1 COMENTÁRIO

Acompanhar esta matéria
Notificação de
1 Comentário
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários