InícioTelefonia CelularCEO da TIM defende a neutralidade e a redução de regras do...

CEO da TIM defende a neutralidade e a redução de regras do 5G

No Painel Telebrasil realizado hoje (21), Pietro Labriola, CEO da TIM, elogiou o edital 5G e disse que o 4G não vai acabar.

ceo tim pietro labriola

No encontro online do Painel Telebrasil realizado hoje (21), Pietro Labriola, CEO da TIM Brasil, defendeu a revisão legal de neutralidade da rede pelo 5G e disse que as regras para a tecnologia não devem olhar para o passado.

Segundo ele, a neutralidade afeta a expectativa da sociedade sobre a nova rede, interferindo assim na sua funcionalidade.

“A neutralidade de rede não atende a expectativa da sociedade sobre o 5G. Não permite a oferta das funcionalidades do 5G. O novo mundo será de serviços especializados que precisam de recursos definidos, como o ‘fatiamento da rede'(network slicing) com entrega 100% garantida. As regras não podem ser feitas pensando no passado. O futuro muda a cada ano”, sustentou Labriola.


O CEO também argumentou que a redução das regras vai garantir uma simetria regulatória com as OTTs, um serviço de mídia que faz a distribuição de conteúdos pela internet.

LEIA TAMBÉM:

–> Para CEO da TIM, ter só três operadoras é saudável para o Brasil

–> CEO da TIM é premiado por contribuição às telecomunicações

–> Presidente da TIM se passa por cliente para testar operadora

Pietro assinalou que as operadoras têm regras a cumprir, e que se o cliente não estiver satisfeito, pode ir à Anatel. No entanto, as OTTs não têm essas regras, onde não há qualquer tipo de atendimento ao cliente.

Em outras palavras, o CEO quer que as regras para a rede 5G sejam menores para ficarem parecidas com as regras das OTTs.

O CEO elogiou o modelo do edital 5G e que os efeitos da nova tecnologia só serão vistos nos próximos anos, lembrando que o 4G não vai ser extinto, muito pelo contrário, o 4G vai contribuir para o avanço da digitalização no Brasil.

“A experiência do diálogo é crucial para termos um 5G. A polarização não ajuda. O 5G não vai trazer retorno imediato às operadoras, não vai mudar a vida das operadoras, mas permitirá ao Brasil ter uma plataforma efetiva para as empresas e as startups possam desenvolver seus novos modelos de negócios”, frisou o executivo.

Cleane Lima
Jornalista, Comunicóloga, Repórter e Redatora há mais de 3 anos, com experiência na produção e revisão de conteúdo para internet. Adora escrever sobre qualquer assunto. "Palavras são, na minha humilde opinião, nossa inesgotável fonte de magia". Alvo Dumbledore.

1 COMENTÁRIO

Acompanhar esta matéria
Notificação de
1 Comentário
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários