Tecnologia 5G impulsiona vendas e salva mercado de smartphones

De acordo com previsão, remessas de telefones inteligentes vão bater recorde no final de 2021.

Segundo informações de empresa de pesquisas IDC, o ano de 2021 deve terminar com quebra de recorde na remessa de smartphones em relação os últimos 6 anos, com um total de 1,38 bilhões de unidades este ano.

O aumento anual projetado é de 7,7% nas remessas, alcançando assim o maior nível de crescimento registrado desde 2015. Para a consultoria, a expectativa é que os bons resultados sigam por 2022.

A tecnologia 5G leva o crédito por esse impulsionamento na demanda do consumidor por dispositivos móveis, sendo um dos motivos que fizeram o iPhone 12 ter sido o mais vendido no mundo no primeiro trimestre de 2021.

De acordo com a consultoria, o número de modelos com suporte para a quinta geração de telecom vai aumentar 130% no decorrer de 2021. O que deve cair é o preço dos smartphones.

VEJA TAMBÉM:

–> Vivo, TIM e Claro vão usar micro-ondas de rádio para fornecer 5G

–> Para Algar, 5G no Brasil deveria ser obrigatoriamente ‘standalone’

–> Para GSMA, governos precisam destinar frequência de 6 GHz para o 5G

Isso na esteira do mercado chinês, que apresentou crescimento de três dígitos. Após perder para a Samsung em usuários mais satisfeitos e ficar atrás da Xiaomi em vendas na Europa, a Apple deve sofrer também com este cenário.

Isso acontece por conta das etiquetas que acompanham seus smartphones. Para Ryan Reith, presidente do programa da Worldwide Mobile Device Tracker da IDC, a gigante de Cupertino terá que rever urgentemente a política de preços.

Segundo a consultoria, no decorrer de 2021, os aparelhos que trazem o sistema operacional Android do Google terão uma redução de 12% nos valores cobrados por eles.

Em média, esses dispositivos deverão custar US$ 456 e chegar a menos que US$ 400 no ano que vem. Apesar da iminente expansão do 5G, os aparelhos com tecnologia 4G ainda têm forte demanda em mercados emergentes.

Sobre a crise da escassez de chips enfrentada por várias indústrias ao redor do globo, a IDC acredita que este não será um problema tão grande para o mercado de smartphones.

Isso quando comparado com a indústria automotiva e de computadores, por exemplo.

Com informações de Convergência Digital

Acompanhar esta matéria
Notificação de
2 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários