Bolsonaro veta uso do Fust para levar banda larga para escolas

Senadores poderão votar novos projetos que assegurem a disponibilidade da internet para estudantes.

Na semana passada, o presidente da República, Jair Bolsonaro, sancionou a lei nº 14.109 que destrava o uso do Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust) para outras aplicações que não estavam previstas quando o fundo foi criado.

Entretanto, pontos importantes do projeto assinado foram vetados, como o financiamento do projeto de banda larga em escolas públicas.


O projeto havia sido aprovado no Senado por 69 votos a favor e 1 contrário.

Na justificativa, o Governo alegou que a proposição criava uma despesa pública sem estimar qual seria o impacto orçamentário e financeiro.

VIU ISSO?

–> Senado aprova uso de recursos do Fust para investir na educação

–> Anatel quer usar Fust para ajudar operadoras durante a pandemia

–> Câmara quer utilizar recursos do Fust para combater a Covid-19

Senadores reagem

No Senado, os parlamentares admitiram a possibilidade de derrubada do veto.

O relator da proposta, o senador Diego Tavares (PP-PB), afirmou que o Congresso poderia votar outros projetos que assegurem a internet em escolas.

ECONOMIZE! 💰 Compare os planos das operadoras de celular e escolha o mais vantajoso para você.

Já o senador Eduardo Gomes (MDB-TO), líder do governo no Congresso, disse que o veto será discutido no ano que vem.

A receita do Fust é proveniente da cobrança mensal de 1% da receita dos serviços de telecomunicações no país.

O fundo foi criado com o objetivo de expandir a telefonia fixa no país, entretanto, os seus mais de R$ 20 bilhões acumulados quase não foram utilizados.

Com informações de Senado Notícias.

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 8 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
3 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários