4G da Vivo chega a todos os municípios de São Paulo

A operadora levou sua conexão de quarta geração para as 43 cidades paulistas restantes no último mês e concluiu a expansão da rede no estado.


Todos os 645 municípios de São
Paulo
passam a contar com a cobertura móvel 4G da Vivo. A expansão da operadora
foi completada em abril após levar a conexão para as 43
cidades que ainda não contavam com a cobertura da operadora.


Além de São Paulo, a Vivo
oferece a rede 4G para todos os municípios do Rio de Janeiro e do Espírito
Santo.


A partir de agora, todos as
cidades paulistas contam com, pelo menos, duas opções de 4G, já que a TIMtambém possui cobertura completa no estado de São Paulo, que foi concluída no
início do mês passado.



LEIA TAMBÉM:



A operadora também segue com a
aceleração da implantação da conexão 4,5G, que é comercializada pela marca como 4G+. No mês passado, a tecnologia chegou a 178 novas cidades, totalizando 500
municípios
, incluindo todas as capitais do país.



Além dos 43 novos municípios de São Paulo a receber a rede 4G da Vivo, a operadora levou a conexão de quarta geração para outras 39 cidades por todo o país. Assim, a cobertura da prestadora agora atinge 2.793 cidades, mantendo-se na liderança do segmento. 

5 Comentários

  1. É fácil investir em São Paulo por ser economicamente viável, difícil é investir em um estado como o de Goiás que carece de investimento nos interiores, mas que as operadoras ignoram até hoje.

  2. Aqui em Santana da Boa Vista-Rs ainda so tem 2 G E 3 G da vivo mas qualquer uma das duas tecnologias estão péssimas muito lentas aqui so a claro possui 4 G junto com 3 G e 2 G a vivo aqui ta ruim pra ligação falha fica cortando sinal fraco as vezes fica sem sinal

  3. Essas operadoras só investem nos grandes centros por questoes economicas, e esquecem pequenas cidades, isso é péssimo.

  4. Quero distância da Vivo, o serviço fixo de banda larga e uma porcaria, ADSL praticamente em toda SP e nunca modernizam, só investe em fibra no interior, o serviço móvel me interessa menos ainda.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.


*