quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Oi prepara saída de países africanos

O que você achou? 
Companhia de telecomunicações brasileira informou que irá analisar o que pode fazer para desfazer-se de algumas operações no continente.


A Oi comunicou nesta quarta-feira (17) ao mercado e aos seus acionistas em geral que seu conselho de administração decidiu autorizar a direção da empresa a tomar as medidas necessárias para a venda da participação que o Grupo Oi/Portugal Telecom possui na Africatel Holdings B.V..

A operadora brasileira possui uma participação de 75% no capital social da Africatel e afirmou que irá tomar a frente do processo de venda, sendo o processo entretanto, feito de uma forma coordenada com a Samba Luxco S.à.r.l - detentora dos 25% restantes da holding. Mesmo assim, a Africatel recebeu uma correspondência da Samba Luxco informando que ela é quem tem o direito de venda das ações detidas pela própria na Africatel, conforme um acordo feito com os acionistas da empresa no momento da transferência de ações indiretas da Africatel a Luxco feita pela Portugal Telecom.

A Oi afirmou desconhecer qualquer acordo que dê lugar ao exercício de ações pela Luxco e que, sem prejuízo do valor que a Companhia deposita na manutenção de uma relação de respeito mútuo com a Samba Luxco, a Africatel pretende disputar tal exercício das ações pela Samba Luxco nas atuais circunstâncias, o que, de acordo com o acordo de acionistas da Africatel, poderá levar ao início de uma arbitragem para a resolução futura de tal matéria. A Oi disse ainda que pretende focar seus esforços na venda da Africatel e que deseja que esse objetivo seja alcançado de maneira bem sucedida e sem eventuais interferências ou restrições.

A Africatel é responsável pela operação da Portugal Telecom - herdada pela Oi no processo de fusão - na Angola (Unitel), Namíbia (MTC), Cabo Verde (CVT) e São Tomé e Príncipe (CST).

Nenhum comentário:

Postar um comentário