06/07/2022

Disney+ ganhou 11,8 milhões de novos assinantes no 4T21

Empresa afirma que a procura pelos parques temáticos também contribuíram para os bons resultados divulgados na quinta-feira, 10.

Na quinta-feira (10), a Disney divulgou os resultados do último trimestre de 2021, e os números surpreenderam. De acordo com a empresa, o Disney+ acelerou o seu crescimento e teve 11,8 milhões de novos assinantes no período, além da forte demanda pelos parques temáticos nos Estados Unidos que ajudaram a elevar os resultados.

O streaming terminou o ano de 2012 com 129,8 milhões de clientes, acima dos 118,1 milhões em relação ao trimestre anterior. Os resultados surpreenderam os analistas que esperavam apenas 7 milhões de novos assinantes.

Segundo o presidente-executivo da Disney, Bob Chapek, produções como “The Mandalorian” e “Viúva Negra” farão com que o número de assinantes cresça de 230 milhões para 260 milhões até 2024. “Estamos mais confiantes do que nunca nesta plataforma”, disse Chapek.

A receita da empresa foi de US$ 21,819 bilhões, um aumento de 34% em comparação ao primeiro trimestre de 2021, surpreendendo mais uma vez a estimativa do mercado, que era de 20,91 bilhões de dólares.

“Tivemos um início de ano muito forte, com um aumento significativo no lucro por ação, receita recorde e lucro operacional em nossos parques e resorts domésticos, o lançamento de uma nova franquia com Encanto e um aumento significativo no total de assinaturas em nosso portfólio de streaming para 196,4 milhões, incluindo 11,8 milhões de assinantes do Disney+ adicionados no primeiro trimestre fiscal”, afirmou Bob Chapek, CEO da Disney.

LEIA TAMBÉM:

–> Disney cria ‘hub’ de conteúdos internacionais para seus streamings

–> Premier League permanece na Disney por mais 3 temporadas

–> 5 Canais da Disney serão encerrados na TV por assinatura; saiba quais são

O excelente resultado da Disney são frutos do investimento de bilhões que a empresa tem colocado na criação de novos conteúdos, visando conquistar inicialmente uma parcela do mercado de streaming online, que até o momento ainda é comandado pela sua concorrente, Netflix.

Tendo em vista os futuros resultados, a Disney aponta algumas possíveis interferências, como mudanças nas condições econômicas domésticas e globais; mudanças ou pressões de condições competitivas e preferências do consumidor; preocupações com a saúde e seu impacto em nossos negócios e produções; desenvolvimentos tecnológicos; mercados e atividades de trabalho; disponibilidade de conteúdo.

Cleane Lima
Cleane Lima
Jornalista, Comunicóloga, Repórter e Redatora há mais de 3 anos, com experiência na produção e revisão de conteúdo para internet. Adora escrever sobre qualquer assunto. "Palavras são, na minha humilde opinião, nossa inesgotável fonte de magia". Alvo Dumbledore.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários
0
O que você acha? Comente!x