Operadoras começaram a desligar as redes 2G e 3G em 68 países

De acordo com um levantamento da Global Mobile Suppliers Association (GSA), 135 operadoras já iniciaram ou planejam desligar as redes.

Com a chegada do 5G e a consolidação do 4G como a principal rede de acesso móvel, é normal que outras tecnologias como 2G e 3G comecem a ser desligadas. Pelo menos é o que está acontecendo com em 68 países, onde 135 operadoras já iniciaram a execução ou planejamento de desligamento da segunda e terceira geração de internet móvel.

De acordo com um levantamento da Global Mobile Suppliers Association (GSA), que reúne uma série de fornecedores da indústria móvel, 75 empresas de telecomunicações em 42 países, sendo que 23 em 14 países já concluíram o desligamento. Outras pretendiam desligar o 3G, sendo que há operadoras que tocam ambos os processos.

Para 3G, o relatório revela que 75 operadoras em 40 países e territórios concluíram, planejaram ou estão em andamento com desligamentos de rede, incluindo 26 operadoras em 15 países e territórios que concluíram a mudança.

“A taxa de desativação para ambas as tecnologias continuará a aumentar, com o desligamento do 3G em particular superando o de seus antecessor”, apostou a GSA. Segundo a entidade, o “ano mais popular” para as operadoras que devem realizar o switch-off será 2025.

O relatório observa as disparidades entre as regiões e o ritmo de desligamentos das redes 2G e 3G. A Europa tem ou fará o maior número de migrações de tecnologia, com 93 ou 63% do total. A Ásia será responsável por 31 (21%), seguida pela América do Norte e Oriente Médio e África com 8 (5%) cada, e Oceania com 7 (5%). A América Latina e o Caribe têm apenas 2 (1%) desligamentos de 2G e 3G.

“Quando foram introduzidos no mercado, 2G e 3G eram inovações muito importantes, mas à medida que os avanços tecnológicos surgiram, sua importância diminuiu e o uso de ambas as tecnologias está diminuindo em todo o mundo”, afirmou Joe Barrett, presidente da GSA.

Estrategicamente, o 4G e 5G devem ser ofertados por 53% das operadoras mapeadas globalmente depois que houve a desativação das gerações antigas de acesso móvel. Entretanto, outras empresas planejam continuar apenas com o 4G, ao passo que 13% vislumbram um upgrade direto para o 5G.

“Assim, mais e mais operadoras e governos estão decidindo que as tecnologias 2G e 3G mais antigas, bem como o espectro alocado a elas, devem ser migrados para redes 4G e 5G mais rápidas e eficientes. No GSA, estamos prevendo um aumento no número de operadoras que saem das redes 2G e 3G à medida que a transição para 4G e 5G se desenrolar completamente”, completa Barrett.

Por enquanto, o povoamento não identificou nenhuma operadora brasileira que esteja nesse processo de desligamento do 2G e 3G. No entanto, vale lembrar que um acordo de compartilhamento do 2G entre a TIM e a Vivo, onde poderá ser desligado a parede da rede de uma das teles.

Cleane Lima
Cleane Lima
Jornalista, Comunicóloga, Repórter e Redatora há mais de 3 anos, com experiência na produção e revisão de conteúdo para internet. Adora escrever sobre qualquer assunto. "Palavras são, na minha humilde opinião, nossa inesgotável fonte de magia". Alvo Dumbledore. E-mail para contato: [email protected]

7 COMENTÁRIOS

Acompanhar esta matéria
Notificação de
7 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários
7
0
O que você acha? Comente!x