InícioEconomia e NegóciosPor falta de chips, Apple reduz fabricação do iPhone 13

Por falta de chips, Apple reduz fabricação do iPhone 13

Apple se junta às grandes empresas que estão enfrentando problemas na produção de eletrônicos devido a escassez de chips.

Com a escassez mundial de chips, a Apple, multinacional norte-americana, começa a sentir a falta dos semicondutores. A companhia está tendo que reduzir a produção de iPhones 13 por falta dos dispositivos.

A Apple já reduziu sua meta de fabricação para 80 milhões de iPhones, sendo que a meta inicial era de 90 milhões. Uma diferença de 10 milhões do novo aparelho da marca.


Com isso, a companhia também tem sido afetada no segmentos das suas ações, onde já começaram a cair. Nesta quarta-feira (13), as ações da Apple negociadas com a Nasdaq sofreram queda de 1,30%.

Além da própria Apple, essa situação também pode afetar a economia dos Estados Unidos, uma vez que a situação do chips podem pressionar a inflação no país e impactar as decisões do banco central, o Fed.

LEIA TAMBÉM:

–> Crise dos chips pode perdurar até pelo menos o fim deste ano

–> Apple TV+ sofre com a pirataria de seus conteúdos

–> iPhone 13 terá fornecedores chineses para driblar escassez

Embora tenha previsto que poderia limitar a capacidade de produção este ano, a Apple não conseguiu gerenciar sua cadeia de suprimentos para garantir todo material necessário para a sua produção, mesmo que a empresa TSMC, fabricante taiwanesa de semicondutores, tenha dado prioridade aos pedidos da companhia.

Acontece que a Broadcom e a Texas Instruments (TI), uns dos principais fornecedores da companhia, também não estão conseguindo fazer a entrega dos semicondutores. De acordo com a Susquehanna Financial Group (empresa privada de comércio e tecnologia), há uma espaço de 21,7 semanas de tempo entre o pedido e a entrega dos chips.

Pelo que apontam os especialistas, o problema da Apple pode se prolongar, uma vez que a escassez de semicondutores também deve perdurar. Pat Gelsinger, CEO da fabricante de chips americana Intel, afirma que pode demorar até dois anos para que a situação dos semicondutores se normalize.

Com informações da Veja.Abril

Cleane Lima
Jornalista, Comunicóloga, Repórter e Redatora há mais de 3 anos, com experiência na produção e revisão de conteúdo para internet. Adora escrever sobre qualquer assunto. "Palavras são, na minha humilde opinião, nossa inesgotável fonte de magia". Alvo Dumbledore.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários