InícioEconomia e NegóciosMark Zuckerberg vê sua fortuna encolher 6 bilhões de dólares

Mark Zuckerberg vê sua fortuna encolher 6 bilhões de dólares

Mark Zuckerberg perdeu US$ 6 bilhões em 24 horas. Será que as inconsistências do WhatsApp, Facebook e Instagram tem algo a ver? Descubra.

Ontem foi um total caos para muitos usuários das redes sociais por causa de uma queda mundial dos serviços do bilionário Mark Zuckerberg: WhatsApp, Facebook e Instagram.

Não há confirmação de que esse foi o motivo, mas em 24 horas o CEO das três plataformas viu sua fortuna diminuir USS 6 bilhões.


Após o fechamento das bolsas de valores do mundo, Zuckeberg passou a ocupar a 6º posição no ranking de bilionários mundiais da Forbes. O CEO perdeu uma posição, pois antes se encontrava na 5º posição do ranking.

Na última semana, Zuckerberg tinha aumentado sua fortuna em US$ 4,6 bilhões junto com a alta dos seus papéis do Facebook e de outras companhias de tecnologia. No entanto, nesta segunda (4) houve uma correção do mercado, resultando no saldo negativo para o CEO.

LEIA TAMBÉM:

–> Coincidência? Dados de usuários do Facebook são colocados à venda

–> WhatsApp, Instagram e Facebook estão fora do ar; veja posicionamento da empresa

–> Facebook e Ray-Ban lançam óculos com câmera dupla e assistente de voz

Mas, pelo que parece, a falha dos aplicativos não foi o único problema do fundador do Facebook. Declarações de uma ex-funcionária da companhia também pode estar afetando o bilionário e contribuindo para queda de 3,96% dos seus papéis.

A ex-gerente de produtos, Frances Haugen, foi contratada para criar ferramentas com o intuito de impedir o uso do Facebook para manipulação política e interferência nas eleições dos Estados Unidos.

Em uma entrevista ao The Wall Street Journal, Frances Haugen afirmou que se decepcionou com a ausência de transparência da empresa. Ela disse que ficou

“frustrada com a falta de transparência da empresa sobre o potencial de suas plataformas de causar danos e a falta de vontade de resolver essas falhas”.

A ex-funcionária deve testemunhar no Congresso dos EUA hoje (5). Antes de vir a público, sob a proteção jurídica da Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC, na sigla em inglês), Frances Haugen já havia denunciado as práticas da empresa, de forma anônima.

Cleane Lima
Jornalista, Comunicóloga, Repórter e Redatora há mais de 3 anos, com experiência na produção e revisão de conteúdo para internet. Adora escrever sobre qualquer assunto. "Palavras são, na minha humilde opinião, nossa inesgotável fonte de magia". Alvo Dumbledore.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários