InícioTecnologiaLive de Bolsonaro é excluída por disseminar fake news

Live de Bolsonaro é excluída por disseminar fake news

Pela primeira vez, o Facebook e Instagram excluem live realizada pelo presidente Jair Bolsonaro por causa de fake news; entenda o caso.

Neste domingo (24), em uma ação inédita, o Facebook e Instagram derrubaram a live semanal feita por Jair Bolsonaro (sem partido) na última quinta-feira (21), por disseminar fake news ao associar a vacina contra a covid-19 com a Aids.

Durante a transmissão, Bolsonaro anunciou duas fake news publicadas no site Stylo Urbano e Coletividade Evolutiva, onde afirmam que pessoas que receberam imunização completa da vacina contra o covid-19 estavam mais vulneráveis à Aids.

Após divulgar a informação, o Bolsonaro preferiu não ler a notícia na íntegra por causa das sanções das redes sociais. “Não vou ler para vocês aqui, porque posso ter problemas com a minha live. Não quero que ‘caia’ a live. Quero dar informações concretas“, apontou.

“Outra coisa grave aqui, só vou dar a notícia, não vou comentar, já falei sobre isso no passado e apanhei muito. Relatórios oficiais do governo do Reino Unido sugerem que os totalmente vacinados, quem são os totalmente vacinados? Aqueles que depois da segunda dose, 15 dias depois após a primeira dose… estão desenvolvendo a Síndrome de Imunodeficiência muito mais rápido que o previsto”, continuou Bolsonaro durante a live.

LEIA TAMBÉM:

–> Governo libera Wi-Fi grátis, mas obriga propaganda pró-Bolsonaro

–> Jair Bolsonaro altera Marco Civil da internet; entenda o que muda

–> Bolsonaro edita decreto de banda larga sobre operadoras


Vale ressaltar que a informação coletada pelo presidente, foi em um site de um grupo negacionista do Reino Unido que costumam publicar fake news e textos antivacinas, entre elas a de que as vacinas rastreiam as pessoas.

Após a divulgação feita no site, a Agência de Segurança de Saúde do Reino Unido declarou que “as vacinas contra a Covid-19 não causam Aids. A Aids é causada pelo HIV”.

Embora tenha evitado a situação, a live do presidente foi derrubada da mesma forma. De acordo com o porta-voz das redes sociais, “Nossas políticas não permitem alegações de que as vacinas de Covid-19 matam ou podem causar danos graves às pessoas”.

O vídeo da live do presidente não está mais disponível em nenhuma das plataformas, sendo a primeira vez que uma live do presidente é tirada do ar pelas redes sociais. Até então, o Facebook e o Instagram só tinham derrubado um post do presidente sobre o uso da cloroquina para o tratamento da covid-19.

Cleane Lima
Jornalista, Comunicóloga, Repórter e Redatora há mais de 3 anos, com experiência na produção e revisão de conteúdo para internet. Adora escrever sobre qualquer assunto. "Palavras são, na minha humilde opinião, nossa inesgotável fonte de magia". Alvo Dumbledore.

5 COMENTÁRIOS

Acompanhar esta matéria
Notificação de
5 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários