InícioTV por AssinaturaIPTV pirata quadruplicou no Brasil, segundo América Móvil

IPTV pirata quadruplicou no Brasil, segundo América Móvil

Desde que as operadoras passaram a exigir seus conteúdos pela internet pública, a TV paga tem sofrido com a pirataria (IPTV pirata).

As empresas do mercado de TV por assinatura, além de competir com os aplicativos de streaming, têm enfrentado um grande problema com a pirataria (IPTV pirata), especialmente após as operadoras entregarem conteúdos no streaming pela internet pública.

De acordo com Oscar Von Hauske, Chief Operating Officer da América Móvil, controladora da Claro Brasil, o lançamento da IPTV possibilitou o aumento nos casos de pirataria em três ou quatro vezes nos últimos dois anos, sendo que o Brasil é a principal vítima da IPTV pirata, seguido de países da América Latina.

“O lançamento da IPTV abriu as possibilidade para aumentar níveis de pirataria em três ou quatro vezes frente ao que tínhamos dois anos atrás”, afirmou Oscar Von Hauske.

“Grande parte do mercado usa esse tipo de serviço [pirata] no Brasil. São operações muito sofisticadas que hackeiam conteúdo na Internet para entregar via set-top box e smart TVs”, completou.

LEIA TAMBÉM:

–> Apple TV+ sofre com a pirataria de seus conteúdos

–> Instituto Claro abre inscrições para o programa Campus Mobile

–> Claro é multada por usar base de dados sem autorização na Colômbia

O CEO da Claro, Daniel Hajj, também concorda com Oscar Von Hauske e aponta que a pirataria é uma das causas para queda de clientes no segmento. Entre julho e setembro, a TV por assinatura perdeu 181 mil usuários somente no Brasil.


Ainda de acordo com Oscar Von Hauske, a Claro TV Box foi criada para fazer competição com os serviços de streaming, como Netflix, Amazon Prime, Globoplay, Disney+, entre outros.

Mesmo que a Claro TV Box tenha tido uma alta demanda, chegando a 190 mil clientes no terceiro trimestre, esse número é abaixo da quantidade de clientes que tem fugido da TV paga comum.

“Embora esteja sendo bem aceito, não é o suficiente para equilibrar o declínio do legado e está afetando [a TV paga] em satélite e cabo”, disse.

“Então, o que temos visto no mercado total de TV paga é um declínio de 8% ano a ano, e foi exatamente de 8% o declínio também em nossa base de assinantes do serviço”, completou.

Ainda assim, a Claro é líder incontestável no segmento no país, com participação no mercado de 44% e quase 6 milhões de acessos.

SourceTeletime
Cleane Lima
Jornalista, Comunicóloga, Repórter e Redatora há mais de 3 anos, com experiência na produção e revisão de conteúdo para internet. Adora escrever sobre qualquer assunto. "Palavras são, na minha humilde opinião, nossa inesgotável fonte de magia". Alvo Dumbledore.

1 COMENTÁRIO

Acompanhar esta matéria
Notificação de
1 Comentário
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários