InícioTelefonia CelularChina Telecom é banida dos EUA após duas décadas de operação

China Telecom é banida dos EUA após duas décadas de operação

Mais uma vez, os holofotes devem se voltar para as tensões entre as duas maiores economias mundiais, China e Estados Unidos.

De novo? Sim, mais uma vez, os holofotes estarão voltados para a famosa tensão entre China e Estados Unidos, as duas maiores economias mundiais. E claro, as telecomunicações estarão no centro do conflito, como de costume. Se nos anos anteriores acompanhamos toda a jornada da Huawei em terras norte-americanas, dessa vez quem protagoniza (novamente) a polêmica é a China Telecom, banida de ter qualquer operação comercial no país.

Logotipo da China Telecom - Divulgação site oficial
Imagem: Logotipo da China Telecom – Divulgação site oficial

A operadora chinesa tem uma subsidiária nos Estados Unidos e terá 60 dias para deixar o país. A ordem veio da Comissão Federal de Comunicações dos EUA, que alegou descobertas de que marca está sob influência e controle do governo chinês, assim como exploração. Tópico de delicadeza em território norte-americano.

Na época da Huawei, haviam suspeitas de que o governo do país espionava por meio dos equipamentos da companhia, mas a falta de provas concretas gerava polêmicas e até mesmo acusações de perseguição por parte dos EUA.

O comunicado também destaca que há grande possibilidades de a China Telecom ser forçada a cumprir solicitações do governo chinês, sem passar pelos procedimentos legais. O movimento é de tamanha complexidade, visto que a empresa opera nos EUA há quase duas décadas.


VEJA TAMBÉM:

–> De novo? Apple está sendo processada na Rússia

–> Apple é obrigada a retirar app da Bíblia e Alcorão da App Store na China

–> China reage à visita de emissário dos EUA ao Brasil

Há também a informação de que a China Telecom teve uma oportunidade em dezembro, para comprovar que as acusações não eram verdadeiras. No entanto, tudo indica que a marca não conseguiu fazer um bom aproveitamento dessa oportunidade. Ainda não há posicionamentos do lado da chinesa, apenas um porta-voz com o comentário de que essa decisão foi decepcionante.

Na China, a empresa tem cerca de 370 milhões de clientes na telefonia móvel, principal mercado. O banimento é apenas o resultado final de uma série de polêmicas já vividas entre a operadora e os EUA. Em 2019, norte-americanos chegaram a ter uma proibição de investir nas ações da marca após uma ordem executiva assinada pelo presidente Donald Trump, em atuação na época.

Anderson Guimarães
Jornalista com seis anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop. E-mail: [email protected]

2 COMENTÁRIOS

Acompanhar esta matéria
Notificação de
2 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários