Amazon alerta usuários sobre a perda de conectividade em aparelhos Kindle

Perda de acesso à internet pode acabar inutilizando determinados modelos do dispositivo de leitura de e-books. Confira a lista.

Amazon alerta usuários sobre a perda de conectividade em aparelhos Kindle

A Amazon começou a notificar os proprietários de determinados modelos de aparelhos Kindle sobre a perda de acesso à internet, inutilizando os mesmos para compras online e fazer download de livros digitais. A perda de conectividade é decorrente do desligamento das redes 3G nos Estados Unidos.

Com a expansão do 5G no país, as operadoras americanas vão começar a desligar no final deste ano as antigas redes móveis, com a previsão do apagão total ocorrendo até dezembro de 2022. Com isso, todos os dispositivos que ainda utilizam apenas o 3G para se conectar deixarão de funcionar.

No caso dos aparelhos Kindle, alguns modelos mais antigos têm apenas suporte ao 2G ou 3G, não tendo a opção de se conectar a uma rede Wi-Fi. Os aparelhos afetados são: Kindle (1ª e 2ª gerações), Kindle DX (2ª geração), Kindle Keyboard (3ª geração), Kindle Touch (4ª geração), Kindle Paperwhite (5ª, 6ª e 7ª gerações), Kindle Voyage (7ª geração) e Kindle Oasis (8ª geração).

Neste momento, os brasileiros não precisam se preocupar com a perda de conectividade no dispositivo de livros virtuais. Porém, o desligamento do 3G no país também deverá ocorrer em algum momento, nos próximos anos.

VEJA TAMBÉM:

–> Quase 9 mil localidades no Brasil ainda não contam com 3G ou 4G

–> Operadora decreta fim da sua rede 3G

–> 4G alcança 5.275 cidades no Brasil, diz Conexis

Atualmente, parte dos serviços de voz no Brasil ainda utilizam as redes 2G e 3G para funcionar. Para que essas redes sejam desligadas, seria necessário a migração de todas as chamadas para a tecnologia VoLTE, ancorada no 4G.

O mesmo vale para o mercado de maquininhas de cartão (M2M), migrando as redes antigas para o padrão NB-IoT. Apesar da alta demanda atual, alguns fabricantes “chutam” que essa migração será acelerada e concluída nos próximos cinco anos.

Na Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), já existe a discussão de um possível desligamento de redes 2G e 3G. Isso permitiria que as operadoras reduzam custos, otimizem o uso do espectro e concentrem investimentos na expansão do 4G e 5G. Vale lembrar que no recente acordo de compartilhamento entre a Vivo e a TIM existe um projeto piloto para o desligamento do 2G em áreas que a infraestrutura das duas operadoras estão sobrepostas.

A TIM, por exemplo, está bem adiantada no uso da tecnologia VoLTE, estando disponível em 4.262 municípios, o que permite que ela entre em novas cidades sem se preocupar em instalar as redes antigas. Atualmente, 4.277 municípios contam com o 4G e 3.891 cidades com o 3G da operadora.

Com informações de Mobile Time e Tudo Celular.

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 9 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
2 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários