Nos Estados Unidos, as redes 3G estão com os dias contados

Depois de dar fim para a rede 2G, a AT&T agora anuncia que vai descontinuar sua rede de terceira geração.

Fevereiro de 2022 é a data limite anunciada pela maior operadora de telefonia móvel dos Estados Unidos, a AT&T, para que a rede 3G da operadora seja descontinuada.

Movimento vem cinco anos após a tele ter encerrado sua rede de segunda geração. Celulares e smartphones mais antigos serão afetados e por isso a AT&T está avisando antecipadamente para que sejam trocados.

Antes de dar fim para sua rede 2G em 2016, a operadora avisou seus clientes com antecedência para que fizessem a atualização para aparelhos mais modernos.

Desta vez, a recomendação é que os novos dispositivos tenham suporte para redes de quarta ou quinta geração. Mas existe um porém: nem todos os aparelhos 4G funcionarão na AT&T.

VEJA TAMBÉM:

–> 46% do total de conectados no mundo ainda utilizam redes 2G e 3G

–> Claro também deve compartilhar redes 2G, 3G e 4G com TIM e Vivo

–> TIM e Vivo anunciam compartilhamento de redes 2G e 4G

A partir de agora, com a iminente desativação da rede 3G, não haverá rede legada para se conectar ao fazer uma chamada. Portanto, todo o circuito de voz dependerá da tecnologia VoLTE.

O Voice over LTE (algo como “voz sobre LTE”) permite realizar o transporte de voz pela rede de quarta geração, cujo desenvolvimento se voltou mais para dados do que para fala.

Desta forma, o novo smartphone precisa suportar essa tecnologia se o usuário desejar fazer ligações sem utilizar aplicativos como WhatsApp e Telegram.

E fica mais difícil: nos Estados Unidos, alguns aparelhos com Android comprados em uma operadora não funcionarão na rede VoLTE de outra pois as configurações são específicas para a rede da prestadora original.

Uma lista foi divulgada pela AT&T trazendo alguns modelos que continuarão funcionando sem problemas a partir de março de 2022. Os aparelhos mais recentes não deverão ter problemas, ao contrário dos mais datados.

E no Brasil?

Após a AT&T dar fim a duas gerações de tecnologias de telecomunicações, o Brasil segue com dificuldades em trilhar o mesmo caminho. Isso se deve aos milhões de aparelhos ainda dependentes das redes 2G e 3G.

Se você tem uma maquininha de cartão de crédito daquelas baratinhas, muito provavelmente ela se conecta na rede 2G da operadora utilizada. Algumas mais recentes funcionam também na rede 3G, WiFi ou 4G.

E este é só um dos exemplos. De acordo com dados atualizados até março, são quase 27 milhões de dispositivos com suporte somente a redes 2G e outros 32 milhões que só se conectam em redes 3G.

Já que não podem ser encerradas por enquanto, algumas operadoras têm ao menos otimizado os investimentos ao se unir com concorrentes visando cobrir alguns municípios com 2G usando a mesma rede.

Além disso, a tecnologia VoLTE não é muito disseminada por aqui. Vivo e TIM disponibilizam o serviço de forma ampla, mas Claro, Oi e operadoras móveis virtuais não podem dizer o mesmo.

Com informações de Tecnoblog

Acompanhar esta matéria
Notificação de
7 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários