InícioEconomia e NegóciosMesmo com pressão da Ericsson, Huawei perde batalha na Suécia

Mesmo com pressão da Ericsson, Huawei perde batalha na Suécia

Fabricante chinesa continua proibida de fornecer equipamentos para as redes 5G do país.

Mesmo com pressão da Ericsson, Huawei perde batalha na Suécia

A Justiça da Suécia negou um recurso da Huawei e manteve a decisão do Swedish Post and Telecom Authority (PTS) – órgão regulador do país – de proibir as operadoras de telefonia de utilizar equipamentos da fabricante chinesa em redes 5G.

A proibição faz parte das regras do leilão de frequências – que ocorreu no início deste ano – alegando motivos de segurança.

Além disso, os equipamentos já instalados deverão ser removidos das redes até o início de 2025.

Já a Huawei afirmou que pretende levar o caso ao Tribunal de Apelação de Estocolmo, embora o regulador disse que pretende defender a decisão por lá também, caso necessário.


VEJA TAMBÉM:

–> Banir Huawei no Brasil é difícil, diz Mourão

–> Reino Unido pretende acelerar retirada da Huawei de suas redes

–> Vivo se diz segura com equipamentos da Huawei

A empresa chinesa alega que o PTS não apresentou fatos ou evidências de que os equipamentos da Huawei apresentavam problemas técnicos de segurança.

“Encorajamos as autoridades suecas relevantes a confiar em padrões de segurança cibernética objetivos, imparciais e verificáveis ​​com base em fatos”, disse a Huawei em nota.

“Embora estejamos decepcionados com este resultado, o veredicto não é a decisão final sobre o nosso caso. No momento, estamos estudando a sentença e o raciocínio do tribunal para determinar quais outros recursos legais devemos adotar para proteger nossos direitos e interesses legítimos. Nossa porta permanece aberta para diálogos construtivos com as partes relevantes para encontrar soluções práticas para mitigar qualquer preocupação de segurança”, finaliza a fabricante chinesa.

Surpreendentemente, a Huawei tinha uma ferrenha defensora na Suécia, nada menos que a rival Ericsson.

A fabricante sueca alega que as sanções contra a Huawei na Suécia podem gerar uma resposta chinesa diminuindo a participação da Ericsson na China.

Atualmente, a fabricante sueca mantém negócios em solo chines, inclusive sendo uma das empresas convidadas para várias licitações de infraestrutura de telecom.

A Ericsson chegou a ameaçar deixar o país, caso o governo sueco não voltasse atrás na proibição da Huawei.

Além da Huawei, a chinesa ZTE também está proibida de fornecer equipamentos 5G na Suécia.

Huawei no Brasil

No Brasil, o edital do leilão do 5G – em análise pelo Tribunal de Contas da União (TCU) – não possui qualquer impedimento para o uso de equipamentos da Huawei (ou de qualquer outra fabricante) nas redes móveis 5G das operadoras de telefonia.

Entretanto, um dispositivo previsto em uma portaria do Ministério das Comunicações exclui a fabricante chinesa de participar da rede privativa de comunicação do Governo Federal.

Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 9 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários