Ericsson teme perder mercado por conta dos bloqueios à Huawei

Empresas concorrem no negócio mundial de produtos e serviços para o setor de telecomunicações.

Ericsson teme perder mercado por conta dos bloqueios à Huawei

Nesta segunda-feira, 24 de maio, a fabricante sueca Ericsson sinalizou que pode ter uma menor participação internacional no mercado do 5G por conta dos bloqueios que estão sendo impostos à Huawei.

Apesar de a fabricante chinesa ser a principal rival da Ericsson, as sanções contra a Huawei podem diminuir o mercado da empresa sueca, em vez de aumentar.

Isso ocorre porque um dos principais mercados de infraestrutura de telecomunicações da Ericsson está localizado justamente na China.

Como o governo da Suécia decidiu excluir a chinesa das redes 5G do país, a Ericsson teme que a China possa “devolver na mesma moeda” e também bloqueá-la em solo chinês.

VEJA TAMBÉM:

–> Rede sem fio da Anatel continuará a usar equipamentos da Huawei

–> Huawei registra diminuição de 16,5% da receita no primeiro trimestre de 2021

–> Dona da TIM encerra contrato com a Huawei, dizem fontes

Hoje, a Ericsson mantém negócios na China, incluindo uma filial.

A empresa afirma que embora tenha sido convidada para várias licitações de infraestrutura de telecomunicação em andamento na China, o resultado final ainda permanece incerto.

“A avaliação atual da empresa é de que aumentou o risco de que a Ericsson, nessas licitações, receba uma participação de mercado significativamente menor do que sua participação de mercado atual”, disse em comunicado.

Em janeiro passado, o CEO da Ericsson, Borje Ekholm, chegou a fazer lobby no governo sueco, inclusive, fazendo ameaças de retirar a empresa do país caso não fosse revogado as restrições.

O bloqueio da Huawei na China é motivado pelas preocupações quanto à segurança dos equipamentos chineses, iniciadas ainda no governo de Donald Trump, nos Estados Unidos.

Em contrapartida, a fabricante negou todas as acusações e entrou com um processo para anular a decisão do governo sueco.

Uma decisão pode ser emitida nas próximas semanas, o que pode afetar diretamente a participação da Ericsson na China.

Com informações de Money Times.

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 8 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários