Decisão da Apple pode acabar com apps gratuitos no iOS

Antes mesmo de efetivar sua nova política, a empresa já é acusada de prática anticompetitiva; entenda a mais nova polêmica do mercado tecnológico.

Apps da App Store, loja de aplicativos da Apple.
Imagem: Apps da App Store (Apple)

Conforme já havíamos abordado no Minha Operadora, a Apple definiu que o rastreamento de dados é uma escolha do consumidor a partir de agora.

Isso significa que, na atual versão do sistema operacional do iPhone, o iOS, usuários poderão escolher se querem ou não ter dados coletados.

A prática foi um grande alerta para o Facebook, que obtém grande receita com a venda de informações dos seus usuários para a publicidade.

Mas, não é só a empresa de Mark Zuckerberg que será afetada. Toda a indústria de aplicativos, que envolve desenvolvedores ‘grandes’ e ‘pequenos’ será duramente abalada.

VEJA TAMBÉM:

–> Entenda como a Apple justificou a retirada dos carregadores no iPhone 12

–> Mudança na Apple vai gerar grande prejuízo ao Facebook

–> Próximo iPhone pode vir completamente sem entradas

Afinal, aplicativos gratuitos também conseguiam lucro com anúncios personalizados, baseados em rastreamento de dados.

Agora, terão que impor um valor para compra do app ou uma espécie de assinatura, caso ainda queiram lucrar.

De acordo com especialistas, o ‘rebuliço’ que a Apple vai promover no mercado de tecnologia é de total interesse da empresa.

A explicação é que a empresa sempre baseou seus serviços em uma arquitetura tecnológica muito fechada e exclusiva.

É uma marca que gosta de estar no controle de todos os aspectos de seus dispositivos. Mas, há um mercado consolidado que vai reagir fortemente e já começou.

O jogo ‘fenômeno’ Fortnite, com receita acima de US$ 5 bilhões somente no ano passado, foi um dos primeiros. Os criadores acusam a Apple de ‘prática anticompetitiva’ e vão levar o caso aos tribunais.

Além da mudança, alguns desenvolvedores destacam que a empresa cobra uma taxa de 30% sobre a receita do app, tida como abusiva. De fato, a empresa terá muito o que explicar sobre sua nova decisão.

Se externamente aparenta uma inciativa em prol da privacidade dos consumidores, internamente soa estratégica.

Tudo para aprimorar e lucrar, ainda mais, com seu sistema de publicidade digital.

Com informações de O Globo

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários