Mudança na Apple vai gerar grande prejuízo ao Facebook

Ao mesmo tempo em que começará a ter uma atuação mais expressiva com publicidade digital, empresa dificultará coleta de dados da concorrente.

Ilustração Pixabay (Simulação de batalha) + Logotipo Facebook e Apple
Imagem: Ilustração Pixabay + Logotipo Facebook e Apple

A Apple está prestes a ser tornar uma “pedra no sapato” do Facebook, que domina o mercado de publicidade digital junto com o Google.

Para quem não é familiarizado com esse tipo de comércio, são as famosas publicações patrocinadas que figuram nas pesquisas.

A notícia “quente” desta quinta-feira é que a Apple pretende fortalecer sua atuação no segmento.

Nos dias atuais, a “companhia da maçã” já obtém um lucro relevante com essa área.

VIU ISSO?

–> Siri, da Apple, ganha atalho para reportar violência policial
 
–> Variante do iPhone 12 fiasca; Apple reduz produção

–> Facebook pode ser processado por comprar WhatsApp e Instagram

Quem entrar na App Store e pesquisar pelo Twitter, por exemplo, verá o TikTok em destaque.

A empresa vende espaços de destaque para empresas na sua loja de aplicativos. Agora, a meta é oferecer mais para os clientes.

Anunciantes terão a oportunidade destacar seus produtos e serviços em posições de destaque na loja de apps do iOS. Os usuários não vão precisar entrar na pesquisa para receber as sugestões.

Somada a iniciativa de aumentar sua participação, a empresa divulgou que pretende melhorar a privacidade dos seus consumidores.

Ou seja, a ação tomada será impedir a coleta de dados por qualquer serviço ou empresa sem um consentimento explícito. Essa será a “pedra” no caminho do Facebook.

Com todas as polêmicas recente sobre privacidade digital, é esperado que maioria dos usuários recusem o rastreamento.

Não somente a empresa de Mark Zuckerberg, mas a prática será um golpe “profundo” em todo o mercado de publicidade digital. Até o mesmo o Google será afetado.

Obviamente, não faltaram críticas. Zuckerberg, e atual controlador do Instagram e WhatsApp, comentou que os movimentos claramente seguem interesses competitivos da Apple, mesmo que a empresa diga que quer ajudar pessoas.

Sobre as informações divulgadas, a empresa não quis se pronunciar.

Com informações de ARSTechnica

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários