Para TIM, 5G tem potencial de popularizar os serviços de streaming

Tecnologia teria a capacidade de reduzir o custo de transmissão de dados e transformar os planos pré-pago e controle.

Logotipo do 5G da TIM.
Imagem ilustrativa.

Segundo o vice-presidente de estratégia da TIM, Renato Cluchini, o 5G deve diminuir o custo de transmissão de dados e, com isso, tornar os serviços de streaming mais populares.

Além disso, a nova tecnologia ainda deve ser capaz de provocar mudanças nas ofertas de planos pré-pago e controle. Para Cluchini, o 5G irá entregar mais capacidade, com um custo mais competitivo, levando o vídeo para a “base da pirâmide”.

Ainda de acordo com o vide-presidente de estratégia da operadora, embora existam diversos modelos de rentabilização, relacionados ao 5G, ainda são poucos os casos efetivados.

Nesse sentido, a TIM está focada na questão da transmissão de dados, que já mostrou resultados com o 4G.

Cluchini explica que pelo fato dos vídeos consumirem muitos dados, as pessoas da base da pirâmide acabam aproveitando apenas um terço de quem está no topo. No entanto, ainda não se sabe qual é a melhor maneira de monetização dos serviços de vídeo no celular.

VIU ISSO?

–> TIM está convidando clientes para testar 5G

–> Conheça os três estados que vão receber 5G da TIM

–> TIM derruba anúncios da Claro sobre ‘5G DSS’

Ainda assim, ele enxerga potencial para a inserção de milhões de novos clientes nos serviços de streaming por meio da reformulação pela qual podem passar os planos controle e pré-pago.

Isso vai de acordo com as aspirações da TIM, que busca fazer do celular uma central de conteúdos e aplicações, indo no sentido oposto ao de suas concorrentes que também buscam se posicionar no mercado como prestadoras de TV por assinatura.

A explicação para essa estratégia adotada pela operadora é que o empilhamento de serviços, o que acaba diminuindo a rotatividade de clientes.

“Queremos ser um distribuidor de conteúdo para nossa base de clientes, e dar todas as opções possíveis, pois isso resulta em lealdade maior do cliente”, afirma Cluchini.

Nesse sentido, o vice-presidente de estratégia da TIM deixou claro que a venda de conteúdo exclusivo não parece ser uma opção para o momento.

Com informações de Telesíntese.

Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários