InícioEconomia e NegóciosPallete é reeleito presidente da Telefónica, controladora da Vivo no Brasil

Pallete é reeleito presidente da Telefónica, controladora da Vivo no Brasil

85% dos acionistas aprovam a continuidade da gestão do executivo.

Pallete é reeleito presidente da Telefônica, controladora da Vivo no Brasil

Em assembleia geral realizada nesta sexta-feira, 23 de abril, foi confirmada a reeleição de José María Álvarez-Pallete para o cargo de administrador executivo global da Telefónica, empresa espanhola controladora da Vivo (VIVT3) no Brasil.

Apesar da redução no preço das ações da Telefónica e a dificuldade em reduzir a dívida da empresa, o executivo recebeu apoio de 84,6% dos acionistas da companhia, índice superior aos 80,2% na eleição de 2017.

Durante discurso, Pallete lembrou os investimentos em redes fixas e móveis de 95 bilhões de euros (R$ 627,49 bilhões na cotação atual) em todos os mercados que a Telefónica atua, conquistando a marca de 135 milhões de casas passadas com a tecnologia de fibra.

Sobre a crise gerada pela pandemia da Covid-19, durante o ano de 2020, ele ressaltou que o papel central das telecomunicações e o valor das redes para unir as pessoas destacaram o papel da Telefónica como uma empresa pronta para liderar o futuro.


VIU ISSO?

–> Dona da Vivo passa a integrar coalizão internacional de empresas

–> Fundação Telefônica Vivo doou R$ 36,6 milhões a projetos de combate à pandemia

–> Movistar, da Telefônica, ativa a primeira rede Open RAN da América do Sul

“A Telefónica não está imune, mas é resiliente. Sofremos sim, mas reagimos e sabíamos gerir a situação. Não nos resignamos; pelo contrário, redobramos os esforços e demos o melhor de nós próprios”, resumiu.

A empresa conseguiu fechar o ano de 2020 com uma geração de caixa próxima a € 5 bilhões (R$ 33,03 bilhões) ou 25 bilhões (R$ 165,13 bilhões) quando somados os resultados dos últimos cinco anos.

O lucro líquido foi de cerca de 1,6 bilhão de euros (R$ 10,57 bilhões) em 2020, 40% a mais que no ano anterior, mesmo em um cenário de pandemia.

Apesar de fechar o ano passado com uma dívida de € 17 bilhões (R$ 112,29 bilhões), ela representa metade do que a existia há cinco anos.

O Brasil foi lembrado, por meio da Vivo, no processo de compra dos ativos móveis da Oi, o que a Telefónica considera como a maior operação corporativa da história da empresa.

“Não os esqueceremos”, finalizou José María Álvarez-Pallete, fazendo uma homenagem aos funcionários e famílias afetadas pela Covid-19.

“A Telefónica teve o privilégio de ser parte da solução durante a pandemia e agora está pronta para conquistar o futuro… Saímos de uma das maiores crises já vividas pela humanidade com o orgulho de termos cumprido a nossa missão e como empresa de tecnologia pronta para conquistar o futuro. Temos a memória sobre a qual construir o futuro, um plano preciso para o enfrentar e o talento humano para pilotá-lo”, concluiu o executivo.

Na mesma assembleia que confirmou a reeleição de Pallete também foi apresentado o novo logotipo da Telefónica. Confira a matéria a seguir.

Com informações de Assessoria de Imprensa Telefónica.

Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 9 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários