Cade estuda maneiras de restringir a venda da Oi Móvel

Órgão avalia a possibilidade de obrigar empresas a leiloar as frequências da Oi para terceiros.

De acordo com fontes que acompanham o assunto, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) está avaliando maneiras de restringir a compra dos ativos móveis da Oi (OIBR3/OIBR4) pelo consórcio formado pelas operadoras Vivo (VIVT3), TIM (TIMS3) e Claro.

A operação é considerada complexa e polêmica, uma vez que é prevista a retirada da quarta maior operadora de telefonia móvel do mercado, ampliando a participação da Vivo, TIM e Claro.

Além disso, a concretização do negócio pode acabar se tornando uma barreira para a entrada de outras empresas concorrentes e relevantes no setor.

Uma das opções aventadas pelo Cade é obrigar o consórcio de empresas compradoras a leiloar as frequências da Oi Móvel, diminuindo as preocupações quanto à concentração.

VIU ISSO?

–> Oi está confiante que o Cade vai aprovar a venda da Oi Móvel

–> Oi deve usar caixa para pagar dívida com a Anatel somente em 2023

–> Ministério Público rejeita recursos de bancos contra a Oi

Entretanto, a rejeição total do negócio ainda não foi descartada pelo Cade.

Por outro lado, a venda da operação móvel da Oi é vista como uma salvação para a companhia, que tem uma dívida de mais de R$ 21 bilhões e enfrenta um processo de recuperação judicial há cinco anos.

“A companhia tem confiança de que todas as análises regulatórias e concorrenciais serão realizadas com o devido cuidado e diligência”, afirma a Oi em comunicado.

Com informações de Money Times.

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 9 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
4 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários