WhatsApp anuncia iniciativa para reduzir tráfego de internet

Mudanças serão aplicadas no exterior, mas podem servir de modelo para outros países.

WhatsApp - Ilustração
Imagem: Pixabay

Com o avanço da pandemia do novo coronavírus, muitos serviços online tomam iniciativas para não sobrecarregar a infraestrutura dos provedores de internet.

Aqui no Brasil, plataformas de streaming e mídias diversas como Globoplay, Netflix, YouTube, Instagram e outras diminuíram a qualidade de transmissão.


A prática foi adotada até antes em outros países, que inclusive já contam com novas iniciativas para reduzir o consumo de internet.

Na Índia, por exemplo, o WhatsApp não aceita mais vídeos com duração superior a 16 segundos nos status. Apenas conteúdos com frames de até 15 segundos.

VIU ISSO?

–> Deezer e Telecine Play liberam acesso para ajudar reclusão

–> WhatsApp, Messenger e Instagram correm o risco de sair do ar

–> TIM Beta ganha WhatsApp ilimitado e outras novidades

Muitos usuários do país questionam se essa realmente é uma iniciativa que fará diferença para diminuir a demanda de servidores.

Em relação a essa questão, é importante considerar que as ações em cada país vão de acordo com os serviços mais explorados e utilizados pelos habitantes.

Se o resultado for significativo e a publicação de vídeos nos status demandar uma quantidade considerável de infraestrutura, a prática pode ser aplicada em outros países.

No Brasil, segundo indicativos, a redução na qualidade do streaming já surte efeitos na infraestrutura das operadoras.

A SKY tem o plano ideal para a sua TV! Aproveite já com 50% de desconto no primeiro mês. Ligue 0800 123 2040.

COMPARTILHAR EM:

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
1 Comentário
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários
Consultor SumUp Valmir

Será essa a melhor opção? E as empresas e pessoas que dependem desses serviços/aplicativos para trabalho? Em especial o WhatsApp neste momento tão delicado qual estamos a passar.

Cidade - UF
Suzano/SP