Redução de qualidade no streaming já surte efeito

Indicativos apontam que o uso da banda larga brasileira está mais equilibrado.

Ilustração PxHere
Imagem: PxHere

Nos últimos dias, acompanhamos a movimentação da Anatel junto aos provedores de conteúdo como Globoplay, Facebook, Instagram, YouTube e Netflix em prol de uma redução da qualidade de transmissão de vídeos via streaming.

A iniciativa surgiu para não sobrecarregar a infraestrutura de internet brasileira, que está com uma demanda altíssima por conta da reclusão domiciliar preventiva a pandemia do COVID-19.


Trabalho, educação, entretenimento e comunicação estão inteiramente concentrados na web, que se tornou um serviço essencial na vida dos brasileiros em período pandêmico. Por isso, os cuidados para mantê-la em bom funcionamento são tomados.

VIU ISSO?

–> Quanto custa substituir a TV por assinatura pelo streaming?

–> YouTube, Amazon e Disney+ também vão ter limitação de qualidade

–> Coronavírus: tráfego de internet aumenta 40% durante quarentena

E ao que tudo indica, a medida começou a surtir efeito. De acordo com dados NIC.br, por meio do Ix.br, o consumo está abaixo de 11 Tbps, o que indica uma estabilidade na demanda geral, apesar de ainda estar elevado no comparativo com os dados habituais.

Até aqui, a internet brasileira se mostra resiliente em relação às mudanças no padrão de consumo, segundo afirma Milton Kaoru Kashiwakura, diretor de projetos especiais do NIC.br.

O pico continua concentrado no horário nobre, às 21h, mas há um aumento expressivo durante a tarde, devido a adoção em massa do home office.

Com informações de Convergência Digital

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, FAÇA LOGIN para comentar
  Acompanhar esta matéria  
Notificação de