Início5GBriga da Huawei com os EUA não preocupa a TIM

Briga da Huawei com os EUA não preocupa a TIM

Gigante chinesa se tornou uma das grandes inimigas do governo americano, mas fechou negócios no mundo inteiro para teste do 5G.

Durante o seu primeiro teste com a rede 5G no Brasil, a TIM não se mostrou preocupada com a ofensiva do presidente dos Estados Unidos contra a Huawei.

Para que todos entendam melhor, a polêmica da gigante chinesa com o país ocorre desde antes das eleições que elegeram Donald Trump. Na época, surgiram acusações de que a marca trabalhava ao lado do governo chinês para espionar empresas e políticos americanos.

Em 2012, a Casa Branca, ainda sob o comando de Barack Obama, divulgou um comunicado com a explicação de que não haviam provas para acusar a Huawei de colocar brechas em seus aparelhos e contribuir com a espionagem

O jogo virou na entrada do presidente Donald Trump, que assumiu uma verdadeira guerra comercial contra a China. Nesse caso, a Huawei caiu nas garras do presidente, que impediu companhias americanas de negociar com a chinesa.


VIU ISSO?
Além dos testes: TIM prepara rede de data centers para a chegada do 5G
– Huawei promete altos investimentos no 5G
– Huawei pede registro de sistema que substituirá Android

As velhas acusações de espionagem voltaram à tona. Inclusive agências como FBI e CIA recomendaram que seus funcionários não utilizassem smartphones da marca.

Empresas como Google, Qualcomm e Intel romperam suas relações com a chinesa, que já prepara um sistema operacional único para os seus smartphones.

Entretanto, será que não estão subestimando o potencial da Huawei?

A marca é uma das principais aliadas para o desenvolvimento do 5G no mundo inteiro, já que é líder no fornecimento de equipamentos e serviços. Inclusive já venceu diversas licitações.

No Brasil, a Huawei participou dos testes de 5G com a TIM em Florianópolis e estará em breve também em Brasília, para mais demonstrações.

“Estamos acompanhando com muito cuidado, claro, a Huawei é um parceiro tecnológico de longo prazo tanto da TIM quanto da Telecom Italia. Estamos acompanhando o que está acontecendo, mas por enquanto não tem nenhuma medida restritiva à Huawei”, disse Di Constanzo, diretor de engenharia da TIM.

Pela análise do cenário, não dá para imaginar como o mercado global vai lidar com as consequências da guerra comercial entre China e Estados Unidos.

Há quem acredite que as medidas do governo americano sejam por puro protecionismo comercial, mas muitos executivos já manifestaram preocupação com a segurança fornecida pelos aparelhos da Huawei.

A marca é uma das principais fornecedoras na implementação do 5G. Segundo especialistas, o potencial deles pode estar sendo subestimado e a chegada da conectividade de quinta geração corre o risco de atrasar em diversos países por conta da briga.

Com informações da Época Negócios e Tecmundo.

Anderson Guimarães
Jornalista com seis anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop. E-mail: [email protected]
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários