Huawei pede registro de sistema que substituirá Android

Ainda sem data de lançamento, plataforma própria da companhia chinesa também deve equipar notebooks, robôs e carros.

huawei-4234821_640-e1560964297248.jpg

A Huawei deu entrada nos pedidos de registro do seu sistema operacional para dispositivos móveis Hongmeng em vários países da Europa e Ásia, inclusive a China, que já liberou o uso da plataforma da empresa.

A informação, publicada em primeira mão pela agência Reuters, tem como base dados da Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI), órgão das Nações Unidas. Segundo a nota, a Huawei fez o pedido de registro da marca em pelo menos nove países, entre eles Peru, Camboja, Canadá, Coreia do Sul e Nova Zelândia.


VIU ISSO?
Huawei desiste de lançar celular com tela dobrável
Facebook e outros apps não estarão nos celulares da Huawei
Huawei não será proibida de atuar no Brasil

Pelas características informadas ao OMPI, o Hongmeng não seria voltado apenas para aparelhos móveis, como smartphones e tablets. A Huawei teria planos de empregar a plataforma também em notebooks, robôs e carros. Entretanto, ainda não se sabe como será o sistema, nem como ele se comportaria em dispositivos atuais ou ainda não disponíveis no mercado. Há alguns dias, fotos do suposto sistema vazaram na internet, e indicam que a interface será mais limpa e adaptada à versão open source do Android.

RELAÇÕES ROMPIDAS

O anúncio do novo sistema operacional acontece depois da decisão do presidente americano Donald Trump de proibir que os grupos americanos façam negócios com empresas estrangeiras, em especial da China, do setor de telecomunicações consideradas perigosas para a segurança nacional.

Em razão disso, o Google, cujo sistema operacional Android está instalado na grande maioria dos smartphones do mundo, inclusive da Huawei, cortou as relações com a fabricante chinesa.

SEM ACESSO AO GOOGLE MAPS

A decisão tem graves consequências para a empresa chinesa, cujos aparelhos poderão ter a versão livre de direitos do Android, mas usuários de aparelhos futuros não terão acesso aos aplicativos e serviços que pertencem ao Google, como o Gmail e o Google Maps.

Contudo, o Departamento de Comércio dos EUA criou uma licença geral temporária para que a Huawei tenha tempo para fazer a manutenção de aparelhos e redes que estão atualmente com consumidores.

About Erivelto Tadeu
Jornalista com mais de 30 anos de experiência, exercendo as funções de repórter, redator, editor, especializado nos setores de tecnologia da informação, internet e telecomunicações.

1
Deixe um comentário

avatar
1 Número de Comentários
0 Número de Respostas
0 Seguidores
 
Comentário mais reagido
Comentário com mais interação
1 Autores de comentários
Adriano Autores recentes de comentários
  Cadastre-se  
o mais novo mais antigo mais votado
Notificação de
Adriano
Visitante
Adriano

Adeus Android. Foi bom enquanto durou, mas vem coisa melhor por aí.