22/05/2024

Regulação e mais: Anatel participa do UTC América Latina, no Rio de Janeiro

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) está presente no UTCAL Summit 2024, organizado pela UTC América Latina, no Rio de Janeiro, de 9 a 12 de abril. O evento reúne líderes da Anatel, empresas de utilities (energia elétrica, água, gás, etc.) do Brasil, América Latina, Europa e Estados Unidos, além de autoridades governamentais, reguladores e provedores de tecnologia.

A Anatel explica que o Summit oferece painéis, workshops e palestras focados na integração das telecomunicações, tecnologias e digitalização no setor de utilities.

No evento, o Prêmio ALTA foi entregue à empresa destacada pelo uso eficaz da tecnologia para alcançar metas operacionais e sociais na Transmissão e Distribuição de Energia.

Carlos Baigorri, presidente da Anatel, participou da abertura, anunciando a autorização para a NeoEnergia usar a faixa de 450 MHz em Brasília para sistemas de comunicação visando automação e digitalização na distribuição de energia.

Baigorri enfatizou a relevância de discutir a viabilidade de estabelecer redes unificadas e integradas para servir a múltiplos participantes do mercado de utilities de maneira centralizada. Essa abordagem busca otimizar a eficiência e a colaboração no setor.

Além disso, o evento contou com a presença de Fernando Mosna, diretor da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que realçou a crescente interação com o setor de telecomunicações e sua significância para o avanço mútuo das áreas envolvidas.

Vinicius Caram, o superintendente de Outorga e Recursos à Prestação, abordou as tendências tecnológicas relacionadas à Missão Crítica, fornecendo detalhes sobre a regulamentação da Anatel.

Ele destacou especificamente as diretrizes relacionadas ao uso das faixas de frequência de 400 MHz e 450 MHz para o serviço limitado privado. Essas informações visam orientar sobre as oportunidades e restrições associadas ao uso dessas faixas para fins de comunicação crítica.

A Superintendência mencionada é encarregada de definir as condições técnicas para a utilização do espectro de frequências no Brasil, abrangendo uma variedade de aplicações tecnológicas.

Além disso, ela coordena o Grupo de Trabalho com empresas de serviços públicos (GT-Utilities), um fórum de discussão onde são discutidas e avaliadas as necessidades e demandas relacionadas ao uso do espectro de rádio. Esse diálogo entre a Superintendência e o setor de utilities visa garantir uma utilização eficiente e eficaz do espectro para diversas finalidades.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários