21/04/2024

Regulação da mídia? Governo Lula deve ter leis contra fake news, diz Janones

Janones esteve presente na campanha do presidente eleito e também está na equipe de transição. Ele falou sobre combate à fake news.

As “Fake News” devem ser combatidas com mais força durante a gestão do presidente eleito em 2022, Luís Inácio Lula da Silva, o Lula. Quem falou sobre o assunto foi o deputado federal André Janones, do Avante-MG. Ele faz parte da equipe de transição do novo chefe de Estado. E falou sobre o assunto nesta quinta-feira 17, no Centro Cultural Banco do Brasil – CCBB, que é sede da transição de governos. 

Lula e Janones

André Janones faz parte do grupo técnico de Comunicação Social da equipe de transição. Ele diz que há uma preocupação em cobrar mais responsabilidade para quem publica conteúdos, mas que não se trata de uma regulação mídia. Para ele, o foco é combater a desinformação, conhecidas como fake news. 

Para André Janones, combate à fake news não é censura

Segundo o deputado, jornalistas e a imprensa tradicional respondem pelas informações que divulgam, essa é a regra. Dessa mesma forma, quem usa as redes sociais deve ser igualmente responsável pelo o que dissemina. 

Para Janones as mudanças devem acontecer através de novas leis. É necessária uma discussão prévia sobre o assunto e depois pensar em uma legislação que dê punições:

“A gente precisa rediscutir a comunicação através das redes sociais e essa essa rediscussão, ela passa por uma legislação mais punitiva.”

Ele também explicou que não enxerga essa tentativa de controle como perigo à liberdade de expressão. Para ele não há nenhuma semelhança dessas iniciativas com a censura. Pois, há diferença entre fazer críticas com fazer afirmações criminosas. 

Equipe de comunicação do grupo de transição do governo está em pauta

Durante essa semana, outro braço da transição ligado à área de comunicação também falou sobre estimativas de projetos para as telecomunicações do país durante a próxima gestão. Paulo Bernardo falou sobre internet e grandes empresas. 

Bernardo foi ministro das Comunicações do governo Dilma e faz parte da equipe de transição. Segundo ele, o próximo governo deve investir em uma internet mais acessível a todos e empresas como prestadoras de streamings devem ser taxadas para equilibrar o mercado. Entenda tudo sobre o que ele falou nesta semana, conferindo a matéria sobre o assunto.

7 COMENTÁRIOS

Se inscrever
Notificar de
guest
7 Comentários
Mais antigo
Mais recente Mais Votados
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários