06/07/2022

Procon notifica o Mercado Livre após vazamento de dados

Nesta semana, hackers vazaram dados de cerca de 300 mil usuários.

Na última segunda-feira (07), o Mercado Livre informou que os dados de cerca de 300 mil usuários foram acessados. A plataforma de e-commerce informou ainda que detectou que parte de seu código-fonte foi alvo de acesso não autorizado por hackers.

Mercado Livre Procon-SP Acordo
Foto: Reprodução Internet

Nesta quinta-feira (10), a empresa foi notificada pelo Procon de São Paulo e do Rio de Janeiro por causa do vazamento de dados.

Em nota enviada à imprensa, os dois órgãos fizeram uma série de perguntas ao Mercado Livre para esclarecer quais e que tipo de informações foram vazadas. Além disso, eles também cobraram quais serão as medidas de proteção de dados adotadas pela empresa para prevenir futuros incidentes.

O Procon-SP exige que o Mercado Livre informe quando detectou o vazamento, quais serviços prestados estão envolvidos no incidente e quantos clientes foram afetados.

LEIA TAMBÉM:

–> Site do Ministério da Saúde fica fora do ar após ser invadido por hackers

–> Hacker de 21 anos está por trás do vazamento de dados da T-Mobile

–> Média de ataques hacker a empresas brasileiras já é maior do que a global

Também deve ser informado o número de transações e operações que sofreram ou ainda estão sofrendo impactos após a invasão.

“A empresa deverá também esclarecer se tem um encarregado de dados nomeado e se realizou treinamento dos seus colaboradores sobre a aplicação da LGPD**”,** afirma o Procon-SP em nota.

O Mercado Livre tem até amanhã, sexta-feira (11), para responder à notificação do órgão paulista.

INVASÃO HACKER

O Mercado Livre confirmou o ataque dos hackers e disse: “as senhas de qualquer usuário, conta saldos, investimentos, informações financeiras ou informações de cartão de crédito foram comprometidos”.

“Até o momento e de acordo com nossa análise inicial, não encontramos nenhuma evidência de que nossos sistemas de infraestrutura tenham sido comprometidos”, diz a nota.

O Mercado Livre tem quase 140 milhões de usuários ativos únicos, isso significa que os cerca de 300 mil que tiveram os dados acessados representam 0,2% dos clientes.

A empresa informou que ativou seus protocolos de segurança e que está realizando uma “análise exaustiva” da invasão. “Estamos tomando medidas rigorosas para evitar novos incidentes”.

O Mercado Livre é o maior portal de comércio eletrônico da América Latina e soma-se a Itaú Unibanco, Banco do Brasil e Nubank, que tiveram problemas com tecnologia nas últimas semanas.

Veja abaixo o comunicado do Mercado Livre enviado à SEC:

“Recentemente, detectamos que parte do código-fonte do MercadoLibre, Inc. foi objeto de acesso não autorizado. Ativamos nossos protocolos de segurança e estamos realizando uma análise exaustiva.
Embora os dados de aproximadamente 300.000 usuários (dos nossos quase 140 milhões de usuários ativos únicos) tenham sido acessados, até o momento e de acordo com nossa análise inicial, não encontramos nenhuma evidência de que nossos sistemas de infraestrutura tenham sido comprometidos ou que as senhas de qualquer usuário, conta, saldos, investimentos, informações financeiras ou informações de cartão de crédito. Estamos tomando medidas rigorosas para evitar novos incidentes”.

Carolina Veneroso
Carolina Veneroso
Jornalista, formada pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Atua como repórter, redatora e com produção de conteúdo há 5 anos. Apaixonada por entrevistar e conhecer pessoas e novas histórias.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários
0
O que você acha? Comente!x