18/05/2022

Oi fecha novembro com caixa operacional negativo em R$ 165 milhões

Empresa sofreu uma redução de R$ 137 milhões no caixa financeiro (queda de 5%), acelerado movimento de queima já observado em outubro.

Na sexta-feira (21), o Escritório de Advocacia Arnoldo Wald, que administra a recuperação judicial da Oi, divulgou o relatório com os dados mensal da empresa, onde registrou uma redução de R$ 137 milhões no caixa financeiro (queda de 5%), acelerando o movimento queima já mencionado no mês anterior.

No relatório, a Oi fechou o mês de novembro com R$ 2,628 bilhões de caixa financeiro, após geração operacional líquida negativa de R$ 165 milhões no mês. Sendo que esse resultado ocorreu mesmo com a alta de R$ 81 milhões nos recebimentos registrados pela empresa em novembro, de R$ 2.284 bilhões. O aumento de venda de recargas para parceiros e maior remuneração com serviços de uso de rede foram as principais causas.

Entretanto, os pagamentos da Oi também cresceram e registraram R$ 2.250 milhões após gastos de R$ 164 milhões maiores em novembro. A maior parte do aumento foi vinculada a um maior pagamento de fornecedores de materiais e serviços.

Nesse mesmo tempo, os investimentos da empresa somaram outros R$ 198 milhões, representando uma queda de R$ 56 milhões ante outubro. Mesmo com a redução, a diferença entre os recebimentos e os pagamentos/investimentos da Oi resultou em uma geração operacional negativa de R$ 165 milhões.

LEIA TAMBÉM:

–> Ações da Oi dispararam no início da semana; saiba por que

–> Oi incorpora nova fonte renovável em sua matriz energética

–> Parte da operadora de satélites Hispamar é vendida pela Oi

A redução no caixa foi limitada aos números finais de R$ 137 milhões, considerando os R$ 26 milhões de entradas com operações financeiras e outros R$ 2 milhões originados de operações non-core. Em outubro, o saldo também foi negativo, mas em R$ 71 milhões.

A Oi, que está em recuperação judicial, aguarda aprovação da venda de sua unidade móvel para as operadoras TIM, Vivo e Claro pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), uma vez que a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) já autorizou a transação.

Cleane Lima
Cleane Lima
Jornalista, Comunicóloga, Repórter e Redatora há mais de 3 anos, com experiência na produção e revisão de conteúdo para internet. Adora escrever sobre qualquer assunto. "Palavras são, na minha humilde opinião, nossa inesgotável fonte de magia". Alvo Dumbledore.

2 COMENTÁRIOS

Acompanhar esta matéria
Notificação de
2 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários