18/05/2022

Ações da Oi dispararam no início da semana; saiba por que

Ainda em recuperação judicial, a operadora aguarda aprovação da venda da sua unidade móvel pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica.

No começo dessa semana, as ações da Oi disparam, sendo que na segunda-feira (17) houve um salto de mais 7%, enquanto que nesta terça-feira, a ação preferencial (OIBR4) fechou em alta de 8,8%, a R$ 1,48, e a ordinária (OIBR3) saltou 13%, a R$ 0,84.

De acordo com analistas ouvidos pelo portal Money Times, a elevação das ações da operadora é o mercado começando a precificar a aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) da venda da Oi Móvel para a TIM, Vivo e Claro.

“O volume de negociações da Oi é o triplo da média de outros dias. Há expectativas sobre a aprovação do Cade. Hoje o conselho do órgão convocou uma sessão extraordinária para o dia 26, embora o tema não tenha sido revelado”, diz Fabricio Gonçalvez, CEO da Box Asset Management.

Coincidentemente a elevação das ações, constava na agenda de Alexandre Cordeiro Macedo, presidente do Cade, uma reunião para tratar da compra de ativos móveis da Oi, que deveria ter acontecido na tarde de terça-feira (18). No entanto, a reunião foi cancelada.

Analista da Levante, Flavio Conte, afirma que é crucial a aprovação da venda da Oi Móvel, para melhor a situação financeira da empresa.

“Isso não está precificado. Ela precisa desse dinheiro para diminuir o endividamento e aumentar a capacidade de investimento. Se essa decisão sair, é uma ação que pode valer até R$ 3”, prevê.

LEIA TAMBÉM:

–> TIM, Vivo, Claro e Oi são acionadas pelo Ministério Público da Bahia; saiba por que

–> Parte da operadora de satélites Hispamar é vendida pela Oi

–> Oi incorpora nova fonte renovável em sua matriz energética

Mesmo após o cancelamento da reunião, os ativos da Oi seguiram em alta: os papéis OIBR3 subiram 12,99%, a R$ 0,87; OIBR4 avançou 8,82%, a R$ 1,48. Os sinais de avanço sobre a aprovação do Cade, mesmo que desencontrados, contribuíram para a elevação dos papéis.

De acordo com a analista da Empiricus, Cristiane Fensterseifer, o Cade tem até o dia 9 de fevereiro para tomar uma decisão sobre o negócio, sendo que não há previsão de um novo pedido de extensão. “A área técnica já submeteu relatório recomendando a aprovação com poucos remédios comportamentais, e é bastante raro, historicamente, que a decisão contrarie a recomendação técnica”, completa.

Vale a pena comprar?

Com a alta e as estimativas positivas para os papéis da Oi, resta saber se vale a pena comprar ações da operadora. De acordo com Marcel Andrade, head de renda variável da Vitreo, há potencial de que a ação possa disparar, mas o risco para investir na empresa ainda é alto. Além disso, ele afirma que, a princípio, parece que o pior já passou.

Para Cristiane Fensterseifer, a possibilidade da saída da Oi da recuperação judicial pode destravar o valor e causar um grande impacto na base de acionistas. “Com a saída da RJ e o fim dessas restrições, haverá uma possibilidade de novos investidores entrarem no case e, com isso, destravarem o preço das ações”, diz.

O fim da recuperação judicial da Oi foi marcada para março de 2022 ou quando as vendas da V.tal e da unidade móvel estejam concluídas, “essenciais para a saída da empresa da recuperação judicial para que esses ativos não levem consigo nenhuma obrigação do processo”, completa a analista.

Cleane Lima
Cleane Lima
Jornalista, Comunicóloga, Repórter e Redatora há mais de 3 anos, com experiência na produção e revisão de conteúdo para internet. Adora escrever sobre qualquer assunto. "Palavras são, na minha humilde opinião, nossa inesgotável fonte de magia". Alvo Dumbledore.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários