Início5GClaro, Vivo e TIM arrematam lotes nacionais da faixa 3,5 GHz

Claro, Vivo e TIM arrematam lotes nacionais da faixa 3,5 GHz

Dentre os 4 lotes da faixa 3,5 GHz, Claro, Vivo e TIM arrematam os três primeiros lotes da chamada “faixa de ouro do 5G”; saiba detalhes.

As três principais operadoras de telefonia celular do Brasil, TIM, Vivo (Telefônica Brasil) e Claro, arremataram os lotes da faixa de 3,5 GHz, considerada a “faixa de ouro do 5G”, no leilão realizado na sede da Anatel, em Brasília. O primeiro lote (B1) foi arrematado pela Claro, com proposta de R$ 338 milhões, com ágio de 5,18% acima do preço mínimo exigido pelo governo.

Claro arrematou o primeiro lote da faixa de 3,5 GHz

A Vivo conseguiu arrematar o segundo lote nacional (B2), em 80 MHz, com lance de R$ 420 milhões, sendo que o ágio foi de 30,69% em relação ao preço mínimo exigido. O terceiro lote da faixa de 3,5 GHz foi arrematado pela TIM, com uma proposta de R$ 351 milhões, valor de 9,22% acima do mínimo exigido.

Nenhuma empresa deu lance no quarto lote (B4) da faixa de 3,5 GHz, sendo assim, o serviço será distribuído entre os fornecedores dos lotes nacionais e regionais.

O primeiro lote na faixa de 700 Mhz do leilão foi arrematado pela Winity Telecom Ltda, uma empresa que ainda não presta serviço de telefonia móvel no país, sendo assim, ela se juntará a Vivo, TIM e Claro na prestação do serviço no país.


LEIA TAMBÉM:

–> Brasil terá nova operadora de telefonia móvel; saiba qual será

–> Licitação do 5G pode ser prorrogada até o dia 9, segundo Abraão Balbino

–> Saiba o que pode mudar no Brasil com a chegada do 5G

Winity Telecom venceu o lote com oferta de R$ 1.427.872.491,87, com um ágio de 805% do valor mínimo exigido pelo governo, que era de R$ 157.628.411,00. Com isso, a empresa deverá prestar uma estrutura igual ou superior ao 4G em 1.185 trechos de rodovias, um total de 31 mil km de estrada, e sistema 5G em 625 regiões.

A licitação do 5G prevê arrecadar um total de R$ 49,7 bilhões, sendo que R$ 10,6 bilhões serão para a outorga, que é o pagamento ao governo pelo direito de atuar no setor. A tecnologia deve estar funcionando em todas as capitais até julho de 2022, segundo o Ministério das Comunicações.

Cleane Lima
Jornalista, Comunicóloga, Repórter e Redatora há mais de 3 anos, com experiência na produção e revisão de conteúdo para internet. Adora escrever sobre qualquer assunto. "Palavras são, na minha humilde opinião, nossa inesgotável fonte de magia". Alvo Dumbledore.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários