Início5G9 capitais do Nordeste terão 5G até junho de 2022, de acordo...

9 capitais do Nordeste terão 5G até junho de 2022, de acordo com o MCom

Edital do leilão 5G prevê a cobertura da tecnologia em 1.149 localidades que não são sedes municipais e capitais nordestinas; saiba mais.

Neste domingo (28), o Ministério das Comunicações (MCom) divulgou o planejamento inicial da infraestrutura das telecomunicações para os estados do Nordeste, onde serão beneficiados com a tecnologia 5G, cujo leilão foi realizado no início do mês pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

O projeto irá ampliar o acesso a internet da Bahia, Alagoas, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe. Até junho de 2022, as capitais do Nordeste deverão ser as primeiras a receber a rede 5G. Em seguida, os municípios com mais de 500 mil habitantes deverão ser atendidos até o início de 2023, e de forma escalonada, a cobertura da quinta geração de internet móvel será estendida para as demais cidades.

Além das localidades com pouca ou nenhuma conexão, 776 trechos de rodovias federais que cortam os estados nordestinos deverão ter cobertura de internet 4G, cerca de 11,2 mil quilômetros de estradas. A instalação da infraestrutura nas estradas e rodovias devem ser feitas até 2029, mas cada ano contém metas que devem ser cumpridas.

As obrigações do edital do 5G para as empresas que arremataram lotes na região Nordeste prevê a cobertura do 5G em 1.149 localidades que não são sedes municipais e 1.700 localidades priorizadas em todo o Brasil. Vale ressaltar que o edital também prevê que essas empresas estão comprometidas a ampliar a cobertura 4G, assumindo que é o novo padrão mínimo de conectividade do Brasil.


LEIA TAMBÉM:

–> Vencedoras do leilão 5G são convocadas pela Anatel

–> 5G estará funcionado em 85% das escolas até 2028, segundo ministro das Comunicações

–> Todos os municípios terão internet móvel 5G até 2029, segundo a Anatel

Para o ministro das Comunicações, Fábio Faria, as novas operadoras que se formaram com o leilão são essenciais para ampliar a concorrência e assim, a redução de preços praticados atualmente no segmento de telefonia móvel do país.

“Nosso propósito ao realizar um leilão não-arrecadatório é permitir que os valores das outorgas possam ser investidos em melhorias diretas para a população. Vamos ampliar a digitalização no Brasil e conectar os brasileiros de todas as regiões”, afirma o ministro.

Cleane Lima
Jornalista, Comunicóloga, Repórter e Redatora há mais de 3 anos, com experiência na produção e revisão de conteúdo para internet. Adora escrever sobre qualquer assunto. "Palavras são, na minha humilde opinião, nossa inesgotável fonte de magia". Alvo Dumbledore.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários