InícioEconomia e NegóciosRogerio Takayanagi é o novo diretor estatutário da Oi

Rogerio Takayanagi é o novo diretor estatutário da Oi

Mesmo estando em recuperação judicial, a Oi continua fazendo modificações nos cargos de chefia da operadora; saiba detalhes.

Por meio de comunicado de Fato Relevante, a Oi anunciou nesta quarta-feira, 27, o novo diretor estatutário, Rogerio Takayanagi, que vai assumir o cargo a partir de 01 de novembro e irá se reportar ao diretor presidente, Rodrigo Abreu.

Rogerio Takayanagi está na Oi desde 2020.

De acordo com o fato relevante, Rogerio Takayanagi tem mais de 20 anos de experiência no setor de telecomunicações, atuando em diversas áreas como marketing, inovação, startups, vendas , operações, finanças corporativas, M&A, estratégia e tecnologia.

Rogerio Takayanagi está na Oi desde abril de 2020, como responsável pela diretoria de estratégia e experiência do cliente, “onde tem sido um dos responsáveis pela condução do processo de transformação da Oi e seu plano estratégico”.

Rogerio Takayanagi já trabalhou no exterior, onde foi consultor e executivo em empresas como Promon, Value Partners e TIM. Na TIM, ele trabalhou como executivo responsável pelo lançamento da operação de banda larga em fibra.


LEIA TAMBÉM:

–> Oi Fibra amplia internet banda larga para mais 7 cidades do Centro-Oeste

–> Venda da Oi Móvel pode ser adiada para 2022

–> Vai comprar? Ações da Oi devem saltar 125%

Além disso, Rogério é formado em engenharia eletricista pela Escola Politécnica de São Paulo, pós-graduado em administração de empresas pela FGV-SP.

Sobre a Oi

A Oi entrou em recuperação judicial em junho de 2016, com endividamento acima de R$ 65 bilhões. Desde então, a companhia vem tentando se recuperar com a venda de ativos não estratégicos e foco em banda larga.

Entre o plano de recuperação da operadora está a venda da sua unidade móvel para a TIM, Vivo e Claro. No entanto, o trâmite ainda precisa ser aprovado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Recentemente, o Cade pediu mais um prazo de 90 dias para analisar a operação. Caso seja aceito, é provável que a venda da Oi móvel para as três operadoras seja adiada para fevereiro de 2022.

Cleane Lima
Jornalista, Comunicóloga, Repórter e Redatora há mais de 3 anos, com experiência na produção e revisão de conteúdo para internet. Adora escrever sobre qualquer assunto. "Palavras são, na minha humilde opinião, nossa inesgotável fonte de magia". Alvo Dumbledore.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários