InícioInternet Banda LargaPrefeitura de SP pretende colocar wi-fi em escolas e postos de saúde

Prefeitura de SP pretende colocar wi-fi em escolas e postos de saúde

Com o programa WiFi Livre SP, a Prefeitura de São Paulo pretende instalar novos pontos de wi-fi gratuito no município; saiba mais.

Com o intuito de disponibilizar 4 mil novos pontos de wi-fi gratuito, por meio da Secretaria de Inovação e Tecnologia (SMIT), a Prefeitura de São Paulo lançou edital de credenciamento para a instalação dos pontos de wi-fi na cidade.

Com mais de mil pontos de wi-fi gratuito já espalhados pelo município, com o programa WiFi Livre SP, a prefeitura pretende fazer com que todas as escolas do Ensino Fundamental e unidades de Saúde da cidade tenham internet de graça.

O acesso a rede wi-fi será gratuito para qualquer usuário desses espaços, mas para isso terá que assistir um anúncio antes da liberação do sinal de internet. Esses anúncios serão das empresas credenciadas no programa.

O credenciamento das empresas ficará aberto por 60 dias, podendo ser prorrogado. Sendo que essas empresas credenciadas terão que ofertar o serviço em quantos lotes achar necessário.


LEIA TAMBÉM:

–> Clientes Claro e NET terão WiFi gratuito em mais um aeroporto

–> Aplicativo Facily é investigado pelo Procon de São Paulo

–> São Paulo pretende disponibilizar 20 mil pontos de Wi-Fi gratuito até 2024

Enquanto as empresas fornecerem o serviço, a Prefeitura de São Paulo será a responsável pela a infraestrutura elétrica para a instalação dos equipamentos.

O edital deixa bem claro que o compromisso da empresa é exclusivamente com o município, sem haver qualquer vínculo com o Poder Público.

“A relação que se estabelece na assinatura do contrato é exclusivamente entre o município e a credenciada, não havendo qualquer vínculo ou relação de nenhuma espécie entre o Poder Público e a subcontratada”.

O documento ainda diz que

“A contratação de terceiros para prestação de serviços acessórios ao objeto do Edital, a exemplo da contratação de empresas para instalação de equipamentos, da aquisição de licenças de uso de softwares, dentre outras atividades correlatas, não caracteriza subcontratação”.

Segundo o secretário Juan Quirós, as sugestões da população sobre a instalação do Wi-Fi Livre onde não há internet, assim como a redução das áreas dos lotes e alterações técnicas pedidos pelas empresas, foram atendidas.

“A pandemia mostrou que inclusão digital é a nova fronteira da inclusão social. Cidadãos conectados têm mais possibilidades de conseguir trabalho e gerar renda, e isso é fundamental neste momento de retomada das atividades”, diz Quirós.

Cleane Lima
Jornalista, Comunicóloga, Repórter e Redatora há mais de 3 anos, com experiência na produção e revisão de conteúdo para internet. Adora escrever sobre qualquer assunto. "Palavras são, na minha humilde opinião, nossa inesgotável fonte de magia". Alvo Dumbledore.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários