‘5G DSS’ é 4.5G, segundo Ministro das Comunicações

Fabio Faria vai enviar comunicado informal para as operadoras, com o pedido de que a informação seja esclarecida para o consumidor.

Ministro Fabio Faria em entrevista para o UOL, falando sobre o 5G.
Imagem: Reprodução YouTube

Além das intervenções do Conar nas propagandas do ‘5G DSS’, o Ministro das Comunicações também terá suas contribuições.

Em entrevista recente, Fabio Faria destacou que a conectividade ofertada é, na verdade, 4.5G e isso precisa ser esclarecido.

O leilão das frequências para o 5G será realizado em julho, segundo expectativas. Só após esse processo que as prestadoras poderão ofertar a verdadeira conectividade de quinta geração.

Para destacar a questão, o ministro comentou que o símbolo do 5G simplesmente é colocado nos smartphones adaptados.

VEJA TAMBÉM:

–> Como a Claro vai ofertar ‘5G’ antes do leilão de frequências?

–> 5G poderá substituir banda larga fixa residencial

–> Fábio Faria: ‘o 4G mudou a vida de pessoas, o 5G vai mudar a vida de indústrias’

É uma prática que cria uma expectativa fora da realidade para o consumidor, já que o Brasil sequer ofertou frequências para a comercialização da nova tecnologia de conectividade.

A medida adotada será o envio de um comunicado informal em nome das operadoras, assim como da Anatel.

Outro argumento utilizado é que a diferença entre 4G e 5G, quando chegar o ‘grande momento’, será de 100 vezes mais veloz, entre uma geração e outras. Esse não é o caso da tecnologia ‘5G DSS’.

“Ontem eu estava tentando entrar na internet com o 5G (DSS) funcionando e caindo o vídeo. Muita gente deve estar pensando que já é o 5G”, destacou Fabio Faria.

Na prática, o que as operadoras oferecem é um compartilhamento dinâmico de espectro. Ou seja, as frequências utilizadas para o 4G viram também a do “5G DSS”.

Questionado se as operadoras estão mentindo ou se haverá algum tipo de punição, Faria ameniza e diz que é uma fase de testes.

Prática comum quando as operadoras farão uma transição de uma tecnologia para outra.

Por sinal, o ministro aproveitou para esclarecer que o leilão não será arrecadatório, graças ao ‘deserto digital’ que existe no Brasil.

O valor das outorgas será aproveitado para levar internet para o Brasil inteiro, segundo prometeu.

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários