Para cobrir locais distantes, TIM investe em antenas mantidas a energia solar

Projeto faz parte do plano da operadora de ampliar cobertura 4G para 100% do território nacional.

Antena mantida a energia solar com o logotipo da TIM na parte superior da imagem.
Antena mantida a energia solar.

A TIM irá investir em sistemas de geração solar “offgrid” (isolado da rede) o que deve servir para alimentar antenas instaladas em locais remotos, onde não há energia elétrica.

Essa ação faz parte do plano da operadora de ampliar a cobertura 4G para todo o território nacional até 2023. Para isso, a TIM pretende investir cerca de R$ 13 bilhões.

Segundo números de março, até o momento, a tecnologia está disponível para 3.967 dos 5.570 municípios brasileiros, ou seja, mais de 71% do território nacional.

Alguns lugares que devem ser atendidos pela operadora ficam próximos a regiões urbanas, como General Salgado, que fica a 80 quilômetros de Araçatuba, no interior de São Paulo.

O equipamento instalado no município de General Salgado deve atender um trecho da rodovia SP 463. Outro local atendido é a cidade de Presidente Bernardes, localizada a 578 quilômetros da capital paulista, com cobertura 4G para parte da BR 374 (Rodovia Castelo Branco), no trecho entre as cidades de Presidente Prudente e Presidente Venceslau.

VIU ISSO?

–> Unifique inaugura usina solar particular

–> TIM e Enel X anunciam a construção de duas novas usinas solares na Bahia

–> TIM usará geração de energia renovável para reduzir custos

No total, a TIM deve instalar 15 equipamentos em todo o país, em parceria com a Highline, provedora de infraestrutura para operadoras de telefonia celular.

No entanto, a operadora não é a única que vem buscando autossuficiência energética, com investimentos em geração solar.

Vivo

No mês passado, por exemplo, a Vivo a sua primeira usina solar, na cidade de Marabá (PA), como parte do seu projeto de investimento em Geração Distribuída de Energia.

O projeto prevê que 6.885 pontos de consumo da Vivo recebam energia solar, através da construção de 16 usinas solares, que também devem beneficiar prédios e lojas de Rondônia, Mato Grosso do Sul, Paraná, São Paulo e Ceará.

Claro

De forma semelhante, a Claro também inaugurou quatro usinas solares de geração distribuída, no primeiro semestre do ano passado, no município de Taubaté, no interior de São Paulo, com capacidade de garantia do fornecimento de energia renovável para 516 unidades consumidoras da operadora no estado.

Oi

Com o objetivo de se tronar referência no mercado de energia renovável e diversificar a sua matriz de consumo, a Oi inaugurou, no ano passado, uma fazenda solar em Fracisco Sá, no estado de Minas Gerais.

Com informações de Estadão e O Girassol.

Acompanhar esta matéria
Notificação de
1 Comentário
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários