EB Fibra anuncia interesse em abrir o capital na Bolsa de Valores

Empresa quer se tornar a maior provedora de banda larga por fibra independente do país.

EB Fibra anuncia interesse em abrir o capital na Bolsa de Valores

A empresa EB Fibra, da gestora de private equity EB Capital, está se preparando para iniciar o processo de Oferta Pública Inicial (IPO) em 2022, se tornando uma companhia de capital aberto com papéis negociados no pregão da Bolsa de Valores.

Recentemente, a empresa de banda larga por fibra óptica anunciou o nome de Pedro Parente para o cargo de presidente.

Parente é ex-CEO da Petrobras e da BRF, além de ex-ministro da Casa Civil, durante o governo do presidente Fernando Henrique Cardoso.

Parente é um dos sócios da EB Fibra, ao lado de Luciana Antonini Ribeiro, Eduardo Sirotsky Melzer e Fernando Iunes.

VIU ISSO?

–> IHS Towers compra centenas de torres de telefonia no Brasil

–> Oi aceita oferta de R$ 13 bilhões do Grupo BTG Pactual pela InfraCo

–> InfraCo: Rede neutra da Oi já possui dois acordos para atender 268 cidades

Aproveitando o aquecimento do mercado de conectividade, a EB Fibra espera criar uma das maiores empresas independentes de banda larga baseada em fibra ótica, mas sem qualquer relação com as operadoras tradicionais Claro, Vivo (VIVT3), TIM (TIMS3) e Oi (OIBR3/OIBR4).

Para isso, a companhia espera adquirir vários provedores regionais, atingindo a marca de 1 milhão de assinantes e R$ 1 bilhão em receitas até o final deste ano.

Como uma holding – detendo a participação acionária em várias empresas – a EB Fibra quer ter várias subsidiárias operando regionalmente no país.

Atualmente, a EB Fibra é proprietária da Sumicity, na região Sudeste, e da MOB Telecom, no Nordeste.

A companhia já conta com 380 mil clientes de banda larga por fibra.

Além da infraestrutura da EB Fibra, novas empresas de fibra estão chegando ao mercado, como é o caso da InfraCo, da Oi, FiberCo, da TIM e Fibrasil, da Vivo.

A ideia é que as redes dessas novas companhias prestem serviços de conectividade para pequenos provedores, e estes aos consumidores finais.

De acordo com dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e levantamento realizado pelo Teleco, os pequenos provedores já são líderes em banda larga em 76% das cidades brasileiras.

Com informações de Suno e Globo.

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 8 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários