Governo autoriza TIM a captar no mercado R$ 5,7 bilhões

Recursos serão investidos na ampliação e melhoria de infraestrutura, incluindo na implantação do 5G.

Governo autoriza TIM a captar no mercado R$ 5,7 bilhões

O Ministério das Comunicações (MCom) acaba de autorizar a operadora TIM (TIMS3) a emitir R$ 5,75 bilhões em debêntures para investir em projetos de infraestrutura em telecomunicações.

As debêntures são títulos públicos emitidos pelas empresas com o objetivo captar recursos no mercado de capitais para investir nas operações do negócio.

Ou seja, em vez de fazer um empréstimo em um banco, a empresa convida investidores a colocar dinheiro no projeto.

Posteriormente, esses investidores recebem juros do valor investido em um determinado prazo prefixado.

VIU ISSO?

–> TIM realiza teste com 5G ‘puro’ e atinge velocidade 100x superior a do 4G

–> Cobertura 4G da TIM alcança mais de 4 mil municípios do país

–> TIM anuncia plano de expansão do 4G no Paraná

No caso da TIM, o dinheiro levantado será utilizado para implantar, manter, recuperar, adequar e/ou modernizar as redes de telecomunicações fixas e móveis da operadora.

Entre elas, estão investimentos em centros de dados (datacenter), redes de comunicação máquina a máquina (M2M), além da virtualização de redes.

Também é previsto o uso dos recursos para implantar as futuras redes 5G.

O objetivo geral é melhorar a disponibilidade e qualidade dos serviços prestados pela TIM em todos os estados do país.

A autorização para a emissão das debêntures públicas foi publicada na edição desta sexta-feira, 23 de abril, no Diário Oficial da União, e tem validade pelos próximos cinco anos.

Em contrapartida, a TIM precisa manter atualizado junto ao Ministério das Comunicações as informações sobre a sociedade controladora do projeto, quando da emissão pública das debêntures, relatórios sobre o valor captado, entre outros.

Nos últimos meses, o MCom tem autorizado a emissão de debêntures por grandes operadoras e pequenos provedores.

Além da TIM, a Claro recebeu aval para captar R$ 4 bilhões para projetos de implantação de uma arquitetura de rede mais eficiente em todo o país, novas soluções de fibras, além de modernizar as redes 2G, 3G e 4G da operadora.

O provedor regional MOB Telecom também teve autorização da pasta para emitir R$ 210 milhões em projetos de implantação, melhoria e expansão da rede de fibra óptica nas regiões Norte e Nordeste no país.

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 9 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
4 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários