Vice-presidente afirma: sem Huawei, 5G será mais caro

‘Quem vai pagar a conta somos nós, consumidores’, disse Hamilton Mourão sobre o possível banimento da chinesa.

Hamilton Mourão. Imagem: Divulgação Instagram
Hamilton Mourão. Imagem: Divulgação Instagram

Para Hamilton Mourão, vice-presidente do Brasil, se desmantelar os equipamentos que fornecem conectividade móvel, quem vai pagar a conta é o consumidor.

A declaração surge para fomentar o debate sobre um possível banimento da Huawei no país, como fornecedora de equipamentos para o 5G.


De acordo com Mourão, cerca de 40% da infraestrutura de 3G e 4G vem da chinesa.

Se ela for impedida de atuar com o 5G, o custo será muito mais elevado e deve refletir no bolso do consumidor.

Em uma breve contextualização, os EUA pressionam o Brasil para não permitirem a atuação da Huawei na nova conectividade.

A alegação é de que a companhia promove espionagem para o governo chinês, mas não foram apresentadas provas.

VIU ISSO?

–> Governo Federal deve manter Huawei no 5G do Brasil

–> Huawei acredita que não será banida do 5G brasileiro

–> Deputados cobram o fim da interferência política sobre o 5G

ECONOMIZE! 💰 Compare os planos das operadoras de celular e escolha o mais vantajoso para você.

Outro temor muito compartilhado por especialistas e autoridades do Palácio do Planalto é de que um possível banimento possa comprometer as relações comerciais entre Brasil e China.

Para Mourão, a empresa que comprovar respeito à soberania, privacidade e economia está apta para ser contratada.

Entre as cinco maiores empresas de infraestrutura, duas são chinesas.

No entanto, informações garantem que o presidente Jair Bolsonaro busca barreiras dentro da lei para limitar a presença da Huawei no país.

A ideia é basear a decisão em requisitos técnicos ou de segurança.

As operadoras de telefonia móvel já se manifestaram contra a decisão, por meio do Conexis Brasil, sindicato representativo.

Afinal, todas terão custos altos para substituir a infraestrutura já existente do 3G e 4G, assim como reunir recursos para a compra de frequências no 5G.

Saiba mais detalhes na matéria abaixo:

Com informações de InfoMoney

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
1 Comentário
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários