STF derruba lei da Bahia que regula validade de créditos de celular

Supremo julgou que a legislação baiana fere a isonomia na prestação dos serviços de telecomunicações no país.

O Supremo Tribunal Federal (STF) julgou por maioria de votos como inconstitucional uma lei do estado da Bahia que criava normas para as operadoras de telefonia móvel.

A legislação estadual nº 14.228/2020 determinava que as empresas não poderiam impor um limite de tempo para que os usuários de celulares pré-pago utilizem créditos ativados. As operadoras que descumprissem a norma receberiam sanções administrativas.

A ação de inconstitucionalidade foi movida pela Associação das Operadoras de Celulares (Acel) com a justificativa de que a prestação de serviços de telecomunicação é nacional, regido por leis federais, para não gerar desigualdade no tratamento de usuários.

A ministra e relatora Cármen Lúcia reconheceu a importância da proteção ao consumidor, mas ressaltou que os serviços de telecomunicações no país são regulados pela União. Dessa forma, os estados não tem competência para legislar sobre o tema.

VIU ISSO?

–> STF derruba mais uma lei estadual com regras para operadoras

–> STF emite mais uma decisão favorável às operadoras

–> Decisão do STF favorece as operadoras

Ela lembrou que a resolução nº 632/2014 da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) institui prazos de validade de créditos superiores a 30 dias.

No entendimento da relatora, a lei baiana interfere no que determina a União, o que pode provocar um desequilíbrio nos contratos de concessão das operadoras.

Com informações de STF.

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 8 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários